O interminável Álvaro Recoba

Créditos: labeautedefotball.fr
Créditos: labeautedefotball.fr

     Pouco se espera de um jogador de linha aos 38 no mundo do futebol, mas um uruguaio famoso por já jogar com Ronaldo está quebrando os paradigmas. Álvaro Recoba é um jogador diferenciado, que no fim da sua carreira voltou para sua casa, o Uruguai, para relembrar os tempos de Internazionale. 

LEIA MAIS:

     Jogando no Nacional de Montevidéu, o meia uruguaio é conhecido no mundo da bola, e já disputou Copa do Mundo. Hoje é um dos destaques do clube uruguaio, que foi campeão nessa última temporada e disputará a Libertadores 2015. Ano que já terá um desafio importante: Amistoso Internacional contra o Sport Recife, em Pernambuco, valendo como preparação para a competição continental.

HISTÓRIA

     A história de “El Chino”, como é conhecido o meia, começou no Danubio, clube da capital uruguaia. Logo se destacou, e aos 17 anos partiu para um dos grandes clubes da América do Sul: o Nacional de Montevidéu. Fez história por lá, vencendo o Campeonato Uruguaio e sendo convocado para a Seleção Uruguaia. Chamou a atenção do futebol italiano, onde posteriormente veio a fazer jogar com Ronaldo Fenômeno e 70 gols em 258 partidas, uma bela marca.

A CELESTE

     A primeira convocação do “Chino” foi em 1995 para um amistoso contra a Espanha, mas não jogou a Copa América daquele ano. Jogou as eliminatórias para a Copa de 2002 e conseguiu levar a Celeste Olímpica para o Japão e a Coreia, sendo eliminado junto com sua seleção ainda na fase de grupos. A frustrante não-classificação para a Alemanha em 2006 fez com que Recoba jogasse apenas uma Copa do Mundo e deixasse a seleção em 2007, após uma bela Copa América em que foi eliminado para o Brasil na semifinal. Deixou a Celeste com 11 gols em 69 jogos, sendo um jogador memorável para a história do futebol uruguaio.

A VOLTA

     Em 2009, após passar por Torino e Panionios, da Grécia, Recoba volta ao Uruguai para a equipe em que começou a carreira, o Danubio, ficando por lá entre 2009 e 2011, quando se transferiu para o Nacional de Montevidéu. Aos 35 anos, Recoba venceu em mostrava que ainda tinha muita lenha para queimar. O resultado disso foi o título do Campeonato Uruguaio em 2010/2011 e 2011/2012 com a equipe do Nacional, inclusive fazendo gol na final contra o Defensor neste último.

      Já em 2014, com 38 anos o sucesso se repetiu, sendo mais uma vez campeão nacional e marcando um memorável gol olímpico em uma partida do campeonato, na vitória por 2 a 0 contra o Montevideo Wanderers (Veja vídeo abaixo). Marcou também no clássico contra o Peñarol, vencido pelo time de Recoba por 2 a 1, com golaço de falta do meia nos acréscimos da etapa final.

      O interminável Álvaro Recoba não cansa de desfilar sua classe, e comandará a equipe do Nacional na Libertadores de 2015, sendo um dos times mais perigosos, por sua tradição e pela técnica demonstrada por seus jogadores. Jogará a Pré-Libertadores contra o Palestino, do Chile, e se depender de Recoba, o Nacional poderá ser um dos favoritos na competição.



Estudante de Jornalismo na UFPE, fã de esportes, apaixonado por futebol mas também rugby e futebol americano.