Opinião: Maikon Leite, “novo” atacante do Palmeiras divide torcedores

jogadores

Jogador inconstante ou time irregular? Difícil explicar as oscilações do atleta em campo pelo Palmeiras e até mesmo em outros clubes. Maikon Leite viveu fases bastante distintas nos últimos anos e alternou boas e más atuações. Se analisarmos os números da passagem pelo Palmeiras em 2011, os resultados não animam. Após ótima atuação no Santos, inclusive na conquista da Libertadores, foram apenas 12 gols em 87 partidas pelo Palmeiras.

LEIA MAIS:
Opinião: Quem não tem Fred caça com Rafael Marques
Palmeiras reforça defesa para evitar novo vexame em 2015

Leite esteve em campo na conquista da Copa do Brasil em 2012 pelo aliverde, mas, logo foi emprestado para o Náutico mesmo com contrato de cinco temporadas no Verdão. O bom desempenho no Náutico rendeu ao atleta a negociação com o Atlas, time mexicano. Novamente a má fase pareceu perseguir o jogador, que balançou as redes apenas seis vezes no ano passado. Porém, segundo alguns críticos do país, o jogador foi responsável pela classificação do time mexicano para a Libertadores da América. Talvez o fato do gol que definiu a vaga ter sido dele, tenha pesado para a opinião.

Amanhã, o atacante se reapresenta ao Palmeiras após há um ano e meio fora. Para o jogador não integrar a equipe em 2015, apenas se uma proposta definitiva de negociação aparecer.

O retorno de Maikon Leite reforça o ataque palmeirense, que está prestes a perder uma peça fundamental. A novela, Henrique ainda não chegou ao fim, mas, o desfecho se aproxima e a corda parece arrebentar para o lado do alviverde. O clube mantinha direitos sobre o jogador em negociações até dezembro de 2014, e não aproveitou a chance.

Na tentativa de alinhar novamente o setor, a diretoria acertou a contratação de Leandro ex-Chapecoense e está trazendo Rafael Marques, ex-Botafogo.

O “novo” atacante já conhece a pressão da torcida e sabe o tamanho da responsabilidade de vestir a verdinha. Aval do técnico Oswaldo de Oliveira, ele tem. E da torcida?



Curiosa por natureza e jornalista de formação. Sou autora do livro Palmeiras - O Brasil de coração italiano. Escrever sempre foi um hobby e vender por meio da mensagem tornou-se profissão. Formada desde 2012, hoje me especializo em Comunicação de Marketing em Mídias Digitais.