São Paulo empresta seis jovens da base ao Nacional-SP

Reprodução

Seis jogadores formados nas categorias de base do São Paulo foram cedidos por empréstimo ao Nacional-SP. Os nomes mais conhecidos são os do volante Allan e do meia Mirray – Polidoro, Lucas Valença, Gabriel Machado e Bruno Silva são os outros que jogarão a série A-3 do Campeonato Paulista no acordo entre os times, fruto da insatisfação de parte da diretoria com os métodos de formação utilizados no clube.

LEIA MAIS
Mercado da bola: São Paulo acerta empréstimo do zagueiro Dória

Em sua segunda passagem pela terceira divisão paulista, o volante Allan foi campeão sul-americano, em 2013, com a seleção sub-17, e, inclusive, integrou o elenco profissional no mesmo ano. Comparado a Casemiro, ele passou a ser criticado pela lentidão em campo, e, em 2014, esteve também por empréstimo no Noroeste – que foi rebaixado.

Outro nome badalado na base, Mirray (foto) ganhou destaque com a geração 1994 do clube ao vencer o Mundial Sub-15, em 2011, na Inglaterra. O meia-armador canhoto, de 21 anos, sofreu com lesões nos últimos anos que o impediram de repetir o bom desempenho. Visto como ‘armador à moda antiga’, ele quase trocou o São Paulo pelo Cruzeiro no ano passado.

Mais jovens, os zagueiros Antônio Polidoro e Lucas Valença, o lateral-esquerdo Gabriel Machado, e o atacante Bruno Silva, ambos de 18 anos, ainda têm idade para jogar a Copa São Paulo e disputar as competições de base em 2016. O último também chegou a defender as seleções de base, na categoria sub-15.

Elo inicial da parceria idealizada e articulada pelo vice de futebol tricolor, Ataíde Gil Guerreiro, os empréstimos serão, a princípio, até o final do torneio. Ao comentar sobre o projeto em dezembro da temporada, o dirigente fez duras críticas ao conforto que os garotos recebiam no Centro de Formação de Atletas (CFA) do clube, em Cotia.

“Pegaremos meninos de Cotia, tratados a pão de ló, e colocaremos na Série A3, que é uma correria danada, pra eles verem que a vida não aquele luxo”, disse, à Radio Bandeirantes. Motivo de orgulho do ex-presidente Juvenal Juvêncio, o moderno centro de treinamento é diversas vezes criticado – sobretudo entre a oposição – pela comodidade excessiva e produtividade aquém do investimento anual.

Além de expor a dificuldade do clube na transição dos pratas da casa, o dirigente mostrou, também, que a integração entre diretrizes técnicas e administrativas entre Barra Funda e Cotia ainda é deficiente. “A proximidade (com o vizinho da frente Nacional), obrigará a comissão técnica a olhar para esses jogadores”, relatou.

A hipotética visibilidade não seduziu, porém, alguns atletas da equipe sub-20 tricolor. Internamente, jogadores e seus estafes questionaram o nível técnico e a competitividade que a terceira divisão estadual traria a promessas do São Paulo, e recusaram o repasse.

Dentre os emprestados, quatro que firmaram vínculo no último dia 19 já foram relacionados para estreia na série A-3, no último domingo, 31. Na derrota para o Grêmio Barueri, por 1 a 0, apenas Allan foi titular. Polidoro e Bruno entraram no segundo tempo – Valença não saiu do banco. Mirray e Gabriel Machado ainda não foram regularizados.



Jornalista formado pela Fiam-Faam (2016), começou a acompanhar futebol de base a partir de 2007. Colaborou para o site Olheiros.net, foi setorista do Jornal Guarulhos Hoje e trabalhou na Press FC Assessoria e na Revista Palmeiras. Escreve para o Torcedores.com desde 2015.