Confederação Brasileira de Futsal elege novo presidente em meio a boicote de jogadores

A Confederação Brasileira de Futsal elegeu nesta terça-feira o seu novo presidente em meio ao boicote dos principais jogadores da seleção. O mineiro Marcos Madeira, candidato único no pleito, é o novo dono do cargo.

LEIA MAIS
Confira as fichas dos craques Neymar, Ronaldinho, Robinho e Ronaldo nos tempos do futsal

A votação aconteceu em Fortaleza, no Ceará, e Madeira ficará no cargo por quatro anos. A missão do dirigente agora será acalmar os ânimos convencer os jogadores a voltar à seleção.

“Os presidentes das federações são as razões de ser da Confederação Brasileira de Futsal. Os senhores têm que ser recebidos com tapetes vermelhos e nós o faremos. Só não nos peçam nada que firam os estatutos e os regimentos. Nos critique, mas com críticas construtivas, dando os caminhos a seguir. Somos um lado só, uma unidade, a Confederação é de todos. O tratamento será igualitário, assim como as cobranças”, disse o dirigente durante o discurso de posse.

A principal crítica de Falcão e outros atletas é o fato de Madeira ter se aliado à antiga diretoria da entidade, que foi alvo de diversas denuncias.

Aécio de Borba Vasconcelos renunciou ano passado por denúncias de nepotismo e corrupção e Renan Tavares assumiu o cargo. Apesar da possibilidade de seguir no cargo até 2017, ele convocou novas eleições. Madeira fazia oposição e contava com o apoio dos jogadores, porém, se uniu aos antigos desafetos e para compor a nova chapa.

A manobra revoltou os atletas, que criticam a gestão que culminou em dívidas de cerca de R$ 6 milhões. Hoje, a confederação está sem patrocinador.

“Todos já sentiram as dificuldades que teremos pela frente, serão enormes. Mas é um desafio que vamos vencer, com toda a certeza. Quero todos imbuídos em um único sentido: colocar este esporte genuinamente brasileiro no local onde ele merece estar. Esta é uma ocasião para comemorar”, afirmou o novo presidente.

Além de Marcos Madeira, a chapa CBFS PARA TODOS tem Weber Castro como vice-Presidente Geral, Louise Bedê, vice-Presidente de Competições e Nei de Oliveira, vice-Presidente Administrativo. Louise é quem mais gera críticas dos jogadores.

“O Marcos Madeira tinha chance de fazer uma chapa limpa, teria o nosso apoio. O que mais incomodou foi ele se aliar a quem era seu inimigo mortal há um mês”, disse Falcão em entrevista ao SporTV.



Editor senior do Torcedores.com, o jornalista formou-se na Universidade Metodista em 2009 e passou pelas redações do Diário do Grande ABC, Agora SP, UOL e Fox Sports, onde fez a cobertura da Copa do Mundo de 2014. Está no Torcedores desde outubro de 2014.