Ele está de volta! Diego mostra que só o lado psicológico pode atrapalhar na Rio 2016

2015 começou muito bem para o ginasta Diego Hypolito. Com 2 medalhas conquistadas na etapa de Doha da Copa do Mundo de Ginástica (solo e salto), Diego chegou a sua 57ª medalha em 10 anos de Copa do Mundo. O brasileiro se poupou na prova de solo não realizando o Hypolito 3, exercício de sua especialidade, ele pretende dar o seu máximo no Mundial que acontecerá entre os dias 23 de outubro e 1 de novembro em Glasgow, na Escócia.

LEIA MAIS:
Diego é prata em Doha e diz que poderia ter ganho o ouro

Diego Hypolito leva a prata no salto conquistando a sua segunda medalha em Doha

Diego Hypolito foi campeão mundial de solo em Meuboune 2005 e Stuttgart 2007, assim chegando a Olimpíada de Pequim 2008 como o principal favorito a medalha de ouro na prova de solo da ginástica artística.

Diego tinha o peso de se tornar o primeiro brasileiro na história a conquistar uma medalha olímpica na ginástica, já que 4 anos antes Daiane dos Santos que também era favorita nas mesma prova não conseguiu se sair bem.

Diego chegou a final super confiante, realizou todos os movimentos muito bem, uma apresentação quase perfeita, até que na aterrizagem do último movimento ele caiu. O ginasta deixou a área de exercícios decepcionado e chorando muito. Com o erro o brasileiro só conseguiu atingir 15,200 pontos. No banco, ele sequer acompanhou o restante da prova.

4 anos depois, em Londres 2012, Diego tinha a oportunidade de apagar a lembrança amarga da Olimpíada anterior e conquistar sua primeira medalha olímpica, mas não foi isso o que aconteceu. Com outra queda Diego fracassou mais uma vez, bastou a série do ginasta chegar a sua segunda passada para que o silêncio do ginásio desse lugar ao som do lamento: Diego não atingiu altura suficiente em uma pirueta e caiu na área de disputa, chegando a bater o rosto no chão.

Em 2016 Diego Hypolito estará com 30 anos e provavelmente será sua última olimpíada, sua última chance de conquistar a tão sonhada medalha olímpica. A pressão das Olimpíadas anteriores pode até não existir mais, Arthur Zanetti já quebrou a barreira da conquista da primeira medalha da ginástica brasileira.

O Rio de Janeiro poderá ser o palco para Diego se consagrar e apagar da memória os momentos tristes das olimpíadas anteriores. Superar os seus adversários, mas principalmente superar seus próprios medos, será o grande obstáculo dele na luta pela conquista da medalha.

Foto: Getty Imagens



Sou um apaixonado por esportes olímpicos!