Turcos viajam até o Brasil só para ver despedida de Alex no Allianz Parque

Na noite do último sábado (28), o Allianz Parque recebeu diversos craques para comemorar o festival em homenagem ao recém-aposentado Alex. Ao lado do homenageado, nomes como Edmundo, Marcos e Ademir da Guia defenderam a camisa alviverde no embate de cunho amistoso ante os Amigos de Alex. O time do Verdão, comandado pelo técnico Felipão, era formado predominantemente por atletas campeões da Libertadores em 1999.

LEIA MAIS
Veja o que precisa acontecer para o Palmeiras ter mando de campo nas quartas

O adversário, comandado por Zico, tinha no elenco -entre outros- Denílson, Amoroso e Tuncay (famoso atacante turco). Quem surpreendeu a torcida palmeirense, porém, foi mesmo o dono da festa: alguns grupos de torcedores do Fenerbahçe-TUR vieram ao Brasil apenas para prestigiar a homenagem ao meia Alex, que balançou as redes adversárias duas vezes na vitória de sua equipe por 5 a 3.

Natural de Ancara (capital Turca), Harun Aydogan, 22, é um fervoroso torcedor do Fenerbahçe-TUR. Ele veio ao Brasil exclusivamente por causa de Alex: “Eu vim ao jogo do Palmeiras para poder ver o Alex jogar”.

Em pouco tempo no país, o jovem já se encantou com a receptividade dos brasileiros: “Eu realmente gosto dos brasileiros. Eles são sensacionais! Por exemplo: quando pergunto a eles como chegar a algum lugar, mesmo se não sabem inglês, se esforçam e gesticulam para me explicar…”. Harun não trabalha na Turquia, apenas estuda e, por isso, contou com o auxílio de seu pai para viajar ao Brasil. “Eu amo o meu pai”, disse o jovem em tom jocoso.

Tirando fotos no Allianz Parque durante a partida, alguns grupos de turcos reverenciavam Alex. Carregando bandeiras da Turquia, vibravam a cada vez que o jogador ficava com a bola nos pés. Para delírio dos estrangeiros, foi Alex quem abriu o marcador alviverde – verdade seja dita, um golaço! Isso aconteceu no momento em que o Palmeiras perdia por 2 a 0 (depois venceria de virada).

Abertura do espetáculo

Mauro Betting, jornalista e torcedor palmeirense, foi quem assumiu o microfone e abriu o espetáculo em clima descontraído. Antes do início da partida, o ex-jogador Alex recebeu das mãos do presidente palmeirense Paulo Nobre uma placa pelo famoso tento de 2002 – no qual driblou, dentro da área, o zagueiro e o arqueiro rival antes de empurrar a bola para o fundo do gol. Ao apito do árbitro Sálvio Spínola Fagundes Filho, a saída de bola foi dada por um sócio torcedor Avanti, que depois voltou para as arquibancadas. Outros dez sócios torcedores também foram privilegiados: assistiram ao jogo dentro de campo, em confortáveis poltronas, próximas à linha lateral.

Aspectos do jogo

Em clima descontraído, Galeano, do alviverde, mostrou habilidade logo no início da partida ao tirar dois marcadores do lance com um drible. Já Denílson, que defendia o rival, pedalou seis vezes para cima dos palmeirenses. E para dar o troco, Alex deu uma caneta no camisa 8 Fabiano, adversário do Palmeiras – o lance rendeu uma falta e o craque Alex, por muito pouco, não marcou o seu terceiro gol na partida.

Os dois primeiros tentos alviverdes foram marcados pelo homenageado. O terceiro gol foi assinalado por Evair que só descobriu que seu gol havia sido anulado quando já estava comemorando com a torcida, mas em poucos minutos marcou outro, e, desta vez, pôde comemorar à vontade – o gol havia sido legal! Foi dos pés do atacante Edmundo que as redes balançaram pela quarta vez à favor do Palmeiras: o Animal driblou o goleiro e só não entrou com a bola porque não quis. E o derradeiro gol, de pênalti, partiu de ninguém menos que Ademir da Guia, maior ídolo da história do alviverde que havia entrado aos 28’ do 2º tempo no lugar de Pedrinho – a partir deste momento, portanto, o Palmeiras passou a contar com dois camisas 10 em campo: Ademir e Alex.

Em um momento distinto da partida, o árbitro Sálvio Spínola utilizou ainda o seu spray para escrever, no gramado, o nome de Alex e foi aplaudido pela torcida palmeirense. Os gols adversários foram marcados por: Tuncay (2) e Aristzábal (pênalti).

Torcida interage com jogadores

A torcida palmeirense que se localizava no setor Gol Sul do Allianz Parque (portão A, entrada pela Rua Turiassú), foram privilegiados: puderam ficar a poucos metros de distância do banco de reservas das duas equipes. Alguns torcedores chegaram a pedir para que os craques autografassem suas camisas. Ao se aproximar do banco de reservas dos Amigos de Alex, o turco Harun Aydogan, por sua vez, teve o privilégio de trocar algumas palavras com o jogador Tuncay, seu conterrâneo.

Hoje em dia

Ídolo do Fenerbahçe, na Turquia (onde possui inclusive uma estátua), do Palmeiras-SP, Cruzeiro-MG e Coritiba-PR no Brasil, o ex-meia Alex atualmente integra o quadro de comentaristas da emissora ESPN Brasil. Ao todo, o craque atuou -entre clubes e Seleção Brasileira- em 1003 jogos, tendo marcado um total de 420 gols.



Aluno do curso de jornalismo da FIAM/FAAM e membro do Acervo Histórico da Sociedade Esportiva Palmeiras.