Em jogo truncado, mistão do Brasil bate Chile por 1-0

No último amistoso antes da convocação para a Copa América 2015, a Seleção Brasileira enfrentou a anfitriã Chile com o time misto e em jogo dificílimo conseguiu a vitória por 1-0, gol de Roberto Firmino, que saiu do banco de reservas pra decidir a partida após lançamento de Danilo. Com a vitória, o time comandado por Dunga chega a oitava vitória consecutiva e com a moral alta para a competição continental que vai habilitar a seleção campeã à Copa das Confederações, em 2017.

O jogo na primeira etapa foi muito truncado. O time chileno levara alguma vantagem até os 20′, 25′, quando o Brasil começou a melhorar e equilibrar a partida. A disputa na intermediária era muito intensa, a marcação era clara, tático ao extremo. Tanto que somente duas chances de gol puderam ser vistas: aos 25′, quando o Neymar cobrou uma falta, Souza tentou o desvio e o goleiro Bravo teve que jogar pra escanteio em uma bela ponte, e aos 37′ com o Marcelo fazendo um cruzamento da esquerda (que mais pareceu um passe) buscando o Douglas Costa na direita. Ele domina no peito e da entrada da pequena área bate, mas a bola sobe demais. Já o Chile sequer assustou o Jefferson, tendo sua “melhor” chance em um contra-ataque rápido pela direita aos 29′, a bola sobra na entrada da área e dois chutes são interceptados pela defesa brasileira. 0x0 muito truncado, tático e brigado.

Na segunda etapa o jogo começou com o mesmo panorama do início do primeiro tempo, mas foi rapidamente equilibrado pela seleção canarinha. Até que aos 15′ Dunga decidiu mexer no time; colocou Robinho, Elias e Roberto Firmino nas vagas dos pouco efetivos Phillipe Coutinho, Souza e Luiz Adriano. Dois minutos depois, outra mudança: Willian na vaga de Douglas Costa. E a partir daí a Nossa Seleção começou a crescer na partida.

Mesmo com o crescimento do Brasil, a Seleção Chilena teve duas boas chances em cobranças de falta, ambas com Alexis Sanchez; aos 19′ a bola passou muito perto da trave e aos 22′ Jefferson defendeu sem grandes dificuldades. E depois só deu Brasil; jogando no contra-ataque, a velocidade proporcionada por Willian, Neymar, Robinho e Firmino começava a assustar o goleiro Bravo, até que aos 27′ em uma enfiada feita por Danilo em profundidade nas costas da defesa, Firmino recebeu, driblou o arqueiro e mandou pro fundo do barbante.

Perdido, o treinador Jorge Sampaoli decidiu ir pro tudo ou nada, colocando Fernandez e Vargas. Mas nada muito assustador, já que seu time só voltou a assustar novamente aos 40′, quando o próprio Fernandez cobrou falta e o goleirão brasileiro voou no canto baixo direito para defender e assegurar a vitória. O Brasil ainda voltaria a assustar aos 44′ e 47′, com Willian e Neymar, respectivamente. Mas não mexeram no placar, 1-0 com muita dificuldade, tendo no time adversário o melhor jogador da partida. Alexis Sanchez mostrou porque é o dono da bola no time em que atua (Arsenal-ING) e na sua seleção.

→ FICHA TÉCNICA

• BRASIL: Jefferson; Danilo, Thiago Silva, Miranda, Marcelo (Filipe Luís); Souza (Elias), Fernandinho, Douglas Costa (Willian), Philippe Coutinho (Robinho); Neymar, Luiz Adriano (Roberto Firmino). TEC.: Dunga

• CHILE: Bravo, Medel, Jara, Albornóz, Isla, Aránguiz, Rodrigo Millar (Fernández), Mena (González), Vidal (Vargas), Pablo Hernández e Alexis Sánchez. TÉC.: Jorge Sampaoli

• GOLS: 27′ 2ºT: Roberto Firmino (BRA)

• CARTÕES AMARELOS: Thiago Silva, Miranda, Elias, Fernandinho e Neymar (BRA); Albornóz e Gonzalez (CHI)

• ESTÁDIO: Emirates Stadium, Inglaterra

Foto: Rafael Ribeiro / CBF



Lucas Nunes é um jornalista carioca apaixonado por esportes. Apesar de trabalhar em outros ramos da comunicação atualmente, planeja trilhar carreira no jornalismo esportivo, já que ama, em suma, o futebol, o automobilismo e o MMA.