Estados Unidos não vence, mas convence; assista

Mesmo sem contar com sua força máxima, Jurgen Klinsmann escalou diversos jogadores da Major League Soccer para medir forças com a Suíça, em Zurique.

LEIA MAIS:
O que esperar do amistoso entre Itália e Inglaterra; relembre o último encontro
Veja quem são os 10 jogadores mais rápidos do mundo
Punição da Fifa faz ‘Messi japonês’ deixar categoria de base do Barcelona

Ambas equipes foram eliminadas nas oitavas de final na última Copa do Mundo no Brasil, o que teoricamente as colocava em iguais patamares para a disputa do amistoso. Vladimir Petkovic aproveitou a visita dos americanos para testar uma equipe mista e alguns jogadores que não vinham tendo tantas oportunidades de atuar pela Seleção da Suíça. Do outro lado, Klinsmann apostou em uma equipe alternativa novamente, mas o resultado foi mais satisfatório do que a derrota para a Dinamarca por 3 x 2 na semana passada.

Durante o primeiro tempo, a Suíça teve mais posse de bola e parecia que iria se impor como mandante. Não foi o que aconteceu. Os Estados Unidos se movimentou muito bem, trocou passes e passou a dominar o campo de jogo. Poderia ter aberto o placar em duas oportunidade, sendo a principal delas com o capitão Bradley, que perdeu grande chance na cara do gol.

Os Americanos aproveitaram a fragilidade do lado esquerdo da Suíça que não contava com seu lateral titular, Rodriguez, e agrediram a defesa adversária por esse setor. Apesar de quase abrir o marcador, Bradley não rendeu o que costuma render como segundo volante, evidenciando a falta que faz para Klinsmann um armador como Dempsey. Break Shea, lateral esquerdo do Orlando City, marcou um golaço de falta antes do apito do árbitro.

No segundo tempo, depois de quase 10 minutos de bom futebol, os Estados Unidos sumiram e entregaram o protagonismo aos donos da casa. Principalmente depois da expulsão de Jozy Altidore. O empate, em cobrança de escanteio, ocorreu por puro vacilo da defesa norte-americana, que teve o jogo na mão.

O resultado justo, que recompensou cada equipe pelo que apresentou em casa tempo, favoreceu mais aos Estados Unidos, que desde a Copa do Mundo não vinha agradando com empates e derrotas bobas, que pode apresentar um bom futebol mesmo sem alguns de seus principais jogadores.

Ainda assim, foi o oitavo jogo em que os Estados Unidos sofreu um gol depois do 80º minuto e perdeu a chance de vencer o jogo. Apesar de melhorar o nível de apresentação, Klinsmann precisa focar no futuro da Seleção e aproveitar as datas FIFA para convocar sua força máxima e começar a dar personalidade para sua equipe pós Copa. Apesar de ser um dos melhores goleiros em atividade na MLS, está na hora do treinador entender que Rimando não será mais tão útil à Seleção como Bill Hamid, grande promessa de 23 anos e excelente goleiro do DC United. Dempsey claramente não pode ficar de fora assim como Jermaine Jones, que sustentam o meio de campo americano. Opções no banco como Graham Zusi, Lee Nguyen e Mix Diskerud fizeram falta para manter o bom nível de apresentação no segundo tempo.

Crédito da foto: Getty Images



Jornalista Esportivo formado pelo Mackenzie e pela UCLA com passagem pela Rádio Bandeirantes, fundador do perfil Arquivo do Futebol (@futebolarquivo) e jornalista do MLS Brasil. Escreve para o Torcedores.com desde 2014. Twitter: @paulogcanova