Fluminense joga mal, mas vence e encosta no G4 do Cariocão

16784067970_4b536bbefa_k

Debaixo de fortes chuvas e com gramado muito pesado, o Fluminense não jogou bem, mas o suficiente para fazer quatro gols no fraco Barra Mansa e vencer por 4-2, gols de Fred (2), Kenedy e Gérson. Hudson e Jean Torquato descontaram. Com o resultado, o Tricolor das Laranjeiras fica a dois pontos do Vasco da Gama, última equipe do G4, e tem dois jogos decisivos para a classificação (Flamengo e Madureira). Já o Barra Mansa continua lutando para não cair.

A primeira etapa já começara de uma forma estranha em Macaé. Aos 05′ o Flu ensaiava uma pressão pra cima do Barra Mansa quando a iluminação no estádio caiu devido ao desarme de um disjuntor. Após pouco mais de dez minutos de interrupção, a partida foi restabelecida e ficou monótona até o gol do Barra Mansa, aos 13′, com Hudson. Com isso o time da capital acordou e já respondeu no minuto seguinte com Fred, e o goleiro Thiago Leal fez uma defesa sensacional.

Mas se aos 14′ não conseguiu nada, aos 16′ o artilheiro do Tricolor empatou após bela jogada de Wellington Silva pela direita. E na parada técnica o técnico Ricardo Drubscky pareceu instruir seus jogadores de alguma forma que após a paralisação o Flu cresceu de rendimento. Fred, aos 27′, matou no peito e tentou uma bicicleta, mas não acerto em cheio. E no minuto seguinte chegou à virada nos pés de Kenedy, após lançamento de Giovanni. Sem forças, o Barra Mansa só voltou a assustar ao 37′ com Maicol, mas Diego Cavalieri interviu e fez grande defesa. E a partir daí o jogo voltou a ficar monótono, esperando o fim da primeira etapa, o que aconteceu exatamente aos 45′.

Barra Mansa domina o segundo tempo mas não consegue empatar

Desde o início da segunda etapa o inesperado acontecia: o time pequeno dominava o grande. O Barra Mansa tinha os comandos de ataque da partida, e isso irritava demais o capitão Fred, que tentava reposicionar a sua equipe desesperadamente. O time do Sul do estado pressionava, chegava, tentava, mas não tinha forças para marcar seu gol. Foram boas chances aos 06′, 08′, 09′, 11′, e 17′, até que o Flu conseguiu se encontrar aos 26′, com Gérson.

Entretanto, no minuto seguinte, o Barra Mansa quase empatou com Hudson, seu melhor jogador. Mas já diriam os sábios do futebol: “quem não faz, leva”. Se o Flu parecia estar morto, renasceu e começou a armar algumas jogadas razoáveis, e aos 33′ chegou ao terceiro gol, com Fred. Gol este que abriu a porteira; no minuto seguinte, Gérson ampliava. 4-1 sem merecer. Efetividade e qualidade valeu.

O jogo caiu de qualidade, o Flu continuava jogando mal, e o Barra Mansa continuava no ataque com bastante movimentação. E essa movimentação foi recompensada no finalzinho da partida, quando Jean Torquato descontou, fechando o placar em 4-2. Ainda assim, resultado injusto, já que o volume de jogadas do Leão do Sul foi muito maior. O empate refletiria maior justiça.

 

Foto: Nelson Perez / Fluminense FC



Lucas Nunes é um jornalista carioca apaixonado por esportes. Apesar de trabalhar em outros ramos da comunicação atualmente, planeja trilhar carreira no jornalismo esportivo, já que ama, em suma, o futebol, o automobilismo e o MMA.