Opinião: O surpreendente GP da Malásia

O GP da Malásia nos trouxe muitas surpresas. Desde o qualifying, a Ferrari já dava sinais de que vinha pra incomodar, mas não acho que muitos esperassem que pudesse vencer a corrida. Tenho que dizer que Vettel fez uma ótima corrida, sem erros, e mereceu a vitória.

A Ferrari também conseguiu fazer tudo direito, o que me deixou bastante satisfeita porque, mesmo que eu não torça exclusivamente pela escuderia, não gosto de ver uma grande (a maior) equipe em ruínas, chorando na cama e sendo motivo de chacota. Quero ver a Ferrari bem, a McLaren bem, a RBR bem, quero ver disputa.

Aliás, a RBR vai ter que dar uma pausa na choradeira, pelo menos por enquanto… Ou não! Já que foi um dia feliz pra STR que conseguiu terminar a corrida com os dois carros à frente de sua matriz.

Quanto à McLaren, continua no mesmo patamar, apesar de os pilotos dizerem que houve avanços. Alonso não conseguiu terminar a prova e imagino o quanto ele deve estar se perguntando se fez a escolha certa ao pular da Ferrari pra McLaren… Mas paciência, meus amigos, é uma virtude e ele vai precisar demonstrá-la.

Alonso já não é nenhum jovenzinho e deve estar mais ansioso do que nunca pra ser campeão outra vez antes da aposentadoria, mas não vai adiantar ficar trocando de equipe porque agora ele precisa mesmo é acreditar no projeto e ajudar a desenvolver o carro. Mas falando do outro extremo, já dá pra notar coisas boas no menino Max Verstappen, o piloto mais jovem a pontuar na Fórmula 1. Sobre ele: acredito que tem futuro, se não se afobar. Vide o caso Pérez.

Quem fez ótima prova também foi o Kimi Raikkonen, que tem tido muitos problemas ultimamente, como se sua lendária má sorte o estivesse rondando novamente. Mas pelo menos ele conseguiu se recuperar e confirmou o poder de fogo da Ferrari, que não foi bem só com Vettel e não parece estar dando preferência a este.

Ainda acho precipitado dizer que a Ferrari vai brigar pelo campeonato, afinal, na primeira corrida ela brigou foi com a Williams. Talvez certas condições de pista e temperatura favoreçam a Ferrari ou pode ser que ela tenha realmente evoluído entre a primeira e a segunda prova do ano. Mas eu prefiro esperar mais algumas corridas antes de concluir qualquer coisa. Esse tipo de pensamento precipitado foi o que fez alguns dizerem que Nasr é o novo Senna – depois de UMA corrida. Ô galera, calma! Mesmo que o cara seja um baita piloto, temos que dar tempo pra que ele mostre isso.

Massa se classificou e andou à frente do Bottas a corrida inteira, tendo feito ótima largada (como sempre), mas perdendo a 5ª posição para o companheiro na penúltima volta, numa disputa muito bonita. Bottas tinha vantagem porque podia usar a asa, mas o fato é que, em seguida, ele tomou certa distância e Massa não conseguiu mais brigar.

Bottas era mais rápido e ganhou a posição na raça. Legal! Mas não acho que exista a necessidade de ficarem criticando o Massa como se ele fosse o único piloto do universo a perder uma disputa pra um companheiro de equipe. Alguns criticam apenas pela zoeira, outros porque realmente se incomodam e, sobre estes últimos eu digo: brasileiro é mesmo um povo passional, inclusive na hora de criticar e odiar. Mas, por favor, não me odeiem por eu achar isso.

Tenho certeza que outro insatisfeito, neste momento, é Lewis Hamilton. “Que mancada da Mercedes colocar pneus duros na última parada e impedir uma briga pela primeira posição!” – acredito ser este o pensamento geral. Mas não é o pensamento de Niki Lauda.

Na época em que o 1º colocado ganhava 9 pontos e o 2º ganhava 6, ele disse: “melhor 6 pontos hoje do que 9 pontos nunca”.

Isso explicaria a maneira de agir da Mercedes que acreditava que o carro de Lewis não aguentaria mais 17 voltas com os pneus mais macios, logo, seria melhor se contentar com a 2ª colocação. Sinceramente, este tipo de pensamento conservador talvez não seja o que mais agrade ao fã de automobilismo, que gosta mesmo é de ver o circo pegar fogo, mas é um tipo de sabedoria. Com certeza valia mais a pena pra Mercedes que suas flechas pontuassem com 2ª e 3ª posições do que arriscar tudo pela vitória correndo um risco considerável de um deles não conseguir terminar a prova por conta de um pneu que estourou. E convenhamos, a personalidade de Hamilton o faria brigar até o final, desgastando demais os pneus macios que já não são tão duráveis nas Mercedes como são em outros carros.

Brace yourselves e aguardemos as emoções do GP da China.

Crédito da foto: Getty Images



Autora do blog sobre automobilismo Racing Journal: https://racingjournal.wordpress.com/