Opinião: Ano da despedida de Rogério Ceni está pior do que se esperava

Rogério Ceni já foi um garoto promissor do futebol brasileiro, mas os anos se passaram e o goleiro se tornou um verdadeiro mito, principalmente para o torcedor do tricolor paulista.

LEIA MAIS
Under Armour, nova parceira do São Paulo, ainda é nanica no futebol

Rogério Ceni, 42 anos, é ainda uma esperança para o torcedor são-paulino. 2014 era o ano da despedida, como foi 2013 quando todos já esperavam a sua aposentadoria e não imaginavam que no ano seguinte seria o principal jogador do vice-campeonato brasileiro.

De renovação em renovação, Rogério foi deixando cada vez mais sua marca. 2014 foi um ano espetacular, ele voou como se tivesse 19 anos, raramente cometeu falhas, mas, mesmo que houvesse, ele estava prestigiado, era um mito.

Chegou 2015 e a expectativa de continuar uma sequência boa de jogos sem lesões e com o ritmo a 220%. Pelo contrario, esse quatro primeiros meses foram marcados por falhas.

O bicho pegou quando ele, o goleiro artilheiro, perdeu pênalti contra o seu arquirrival, o Corinthians.

Aí, Rogério ficou com os pesos nas costas, que depois aumentou a ponto de quase chegar perto de derrubar o craque quando ele falhou em um golaço de Robinho, com falha determinante. Mas a questão continua: aposenta ou não?

Crédito da foto: Getty Images