Por que o master 1000 de Miami é preferido por tenistas e torcedores?

Tradicional torneio no mundo do tênis, evento da Flórida conta com famoso mergulho entre golfinhos, clinicas de tênis, encontros com promessas, degustações de comida e muita proximidade entre jogadores e fãs do esporte.

LEIA MAIS:

Opinião: Roger Federer, o melhor tenista de todos os tempos

Que os primeiros atletas do ranking mundial de tênis são as atrações principais de quase todos torneios, nós já sabemos, mas por que em Miami é diferente? Primeiramente, o evento da Flórida, que é o segundo na escala de maiores campeonatos do circuito de tênis, se diferencia pela alta relação entre atletas e torcida, que pode facilmente encontrar os tenistas, tirarem fotos e vê-los treinando, por não serem tão “blindados” como nos Grand Slams, que são os torneios de maior porte.

Além disso, a parte social dos atletas faz com que eles saiam da massante rotina de treino/jogo/descanso. Para isso, a organização realiza o já tradicional Meet-and-greet, encontro que os visitantes pagam para nadar com os animais marinhos, no caso os Golfinhos, no aquário de Miami. Este ano, o torneio escolhido como o melhor master 1000 do ano entre 2002 a 2006 e também em 2008, escolheu Del Potro, Feliciano Lopez, Sam Querrey, Ryan Harrison, Nenad Zimonjic e Steve Johnson para o passeio.

Outro fato que chama bastante a atenção para o master 1000 de Miami, é a moeda local, o dólar. Atualmente, a situação está ruim para os brasileiros, porém, eles foram e são presenças certas no evento, por conseguirem passagem baratas ou por terem locais para se hospedarem em Miami. Aos europeus, é ainda mais fácil, por terem um dinheiro mais valorizado que o americano.

Para os naturais dos Estados Unidos, ente ano John Isner, o tenista gigante, e o técnico Nick Bollettieri (dono de uma das maiores academias de tênis nos EUA) foram escolhidos, há um encontro diferente com as futuras promessas do país, sempre ao lado de uma tenista importante do circuito feminino. Em 2015, Victoria Azarenka foi convidada para sair junto com os dois americanos e outros jovens tenistas no Kid’s Day (dia das crianças) organizado pelo próprio torneio.As crianças jogaram tênis juntos e tiraram diversas fotos com os protagonistas do Miami Open.

O campeonato, que é disputado no Crandon Park, tem como tradição a ajuda de um tenista na cerimônia de abertura e no sorteamento das chaves, fato muito comum no futebol, com jogadores já aposentados. Desta vez, o felizardo foi o francês Jo-Wilfried Tsonga.

Os milionários e irmãos americanos Mike e Bob Brian, tiveram a sorte, ou influência, para serem convidados a irem à praia de Swanki e participar do tradicional “Taste of Tennis”, no qual chefes famosos da Flórida preparam alguns dos melhores pratos da culinária de Miami para os convidados provarem.

Como de praxe, há sempre uma clínica de tênis bancada pelo patrocinador do torneio, que beneficia fundações ligadas ao esporte. Como parte da celebração pelo 100 anos de tênis em Miami Beach, a cidade de Sandy sediou o evento e comemorou a volta do tênis profissional para a área, com o tenista do Canadá, Milos Raonic, prestigiando a clínica e arrecadando fundos para sua instituição, a Milos Raonic Fundation.

Devido ao alto sucesso e audiência do torneio, atletas famosos -como o espanhol David Ferrer nesta edição- fazem entrevistas em estúdios e programas de tvs consagrados, além de entrevistas as mídias famosas, como a CNN.

Por essas e outras que o master 1000 de Miami é tão conhecido e prestigiado por fãs e jogadores, pois além de terem uma boa recompensa no torneio, tanto no dinheiro, quanto na pontuação do ranking, ambos ainda tem um belo lugar, com praias e casas de shows famosas, para se passear.

Crédito da imagem: Getty Images

* Curtiu esta matéria? Siga o autor no Twitter: @aleextavares



Jornalista em formação no Mackenzie, estagiário do Torcedores.com e fotógrafo. Fanático por basquete, tênis, surf, futebol e futebol americano.