A prioridade no Flamengo é a renovação do patrocínio com a Caixa

Flamengo
Reprodução/Facebook

Em meio aos problemas financeiros pelos quais passa o Brasil, o Flamengo se vê preocupado ante o impasse da renovação de seu contrato de patrocínio com a Caixa Econômica Federal, empresa pública comandada pela União que passou recentemente pela troca de seu presidente (saiu Jorge Hereda e entrou Mirian Belchior). Se por um lado há a pressão para que a Administração faça corte de gastos, por outro existe um contato entre clube e entidade para tratar do assunto.

LEIA MAIS:
Capitão do Flamengo, Wallace afirma: “A gente nunca recebeu salário atrasado”
Para garantir audiência, Globo deixa Fla-Flu de lado por jogo do Botafogo

Não é segredo para ninguém que a Presidenta Dilma Rousseff e o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, não falam a mesma língua em economia, contudo, é ele quem dá as cartas em boa parte dos assuntos econômicos, salvo  algumas decisão contrária do Planalto. Esse impasse também está sendo percebido pelo futebol e, mais especificamente, pelo Flamengo.

O time da Gávea, que tem contrato de patrocínio com o banco estatal até o final do mês, aguarda a posição da empresa para saber se o contrato será ou não renovado. Segundo o jornal Extra, o clube já foi procurado e informou que deseja renovar com a Caixa e está trabalhando para isso. Entretanto, essa missão não é das mais fáceis.

Com aproximadamente R$ 100 milhões investidos diretamente na publicidade dos clubes de futebol, a Caixa conseguiu aumentar a sua popularidade no mesmo período que se tornou o maior banco do país. Mas isso foi no tempo das “vacas gordas”, por assim dizer, hoje, com os problemas econômicos assolando o Governo Federal, a realidade é diferente e há uma pressão para que, principalmente do ponto de vista simbólico, esse dinheiro seja cortado.

Por outro lado, Caixa e Corinthians renovaram seu contrato nos mesmos R$ 30 milhões estabelecidos em acordo anterior. A decisão pode ser um indicativo que que as equipes brasileiras terão seus contratos renovados, mas sem reajuste ou aumento. Isso, por outro lado, é apenas uma expectativa, pois dificilmente todos os times que estamparam a logo da Caixa em seu uniforme, em 2014, o farão até o final de 2015. O Flamengo, pelo tamanho da torcida que tem, deverá ser um dos agraciados com a renovação.

Foto: Internet/Facebook