Ameaçado, estádio do Guarani recebeu amistoso da seleção há 25 anos

O Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, tem seu futuro ameaçado após ser leiloado pela Justiça do Trabalho para saldar dívidas de seu proprietário, o Guarani. Mas, há 25 anos, a casa do Bugre vivia outro momento.

LEIA MAIS
CBF é quem mais ganha dinheiro com o futebol brasileiro; Veja o ranking

Se hoje o time alviverde sofre para tentar voltar à elite do Paulistão e joga a Série C do Brasileirão, na época a força de bastidores do então presidente da FPF, Eduardo José Farah, um representante do Guarani, fazia com que o clube recebesse a seleção brasileira. Assim, em 5 de maio de 1990, o time de Sebastião Lazaroni chegou ao Brinco de Ouro.

O Brasil se preparava para a Copa do Mundo que seria disputada no mês seguinte, na Itália. A partida contra a Bulgária foi marcada para a tarde de um sábado. Reportagem da Folha de S.Paulo do dia seguinte, 6 de maio de 1990, falava sobre o impacto da chegada da seleção na cidade.

“Jogo da seleção muda a rotina de Campinas”, dizia o título da matéria, que ocupava meia página no caderno de esportes. “Torcedores com camisas e bandeiras da seleção saíram às ruas do Centro desde as 7h de ontem. O trânsito da cidade esteve 30% acima do tráfego normal registrado aos sábados”, informou o repórter Luiz Roberto Saviani Rey no texto.

A reportagem também conta que antes do jogo houve um duelo de gritos na torcida. Alguns entoavam o nome do Guarani, enquanto outros gritavam “Ponte Preta”. Dentro de campo, a seleção de Lazaroni já dava uma amostra do futebol horroroso que apresentaria na Itália um mês depois.

O time brasileiro mudou de esquema tático no meio da partida, saindo do 3-5-2 para o 4-4-2. O Brasil atuava sem Dunga, mas a Bulgária estava sem cinco titulares. A seleção abriu o placar aos 8 minutos, com Müller, mas foi apenas um lapso positivo em um primeiro tempo cheio de erros e falta de criatividade. Melhor para os búlgaros, que empataram logo aos 15 minutos.

No segundo tempo, o jogo ficou tão sem movimentação que as vaias tomaram contra o Brinco de Ouro. Teve direito a grito de “olé” para o toque de bola dos búlgaros. Após uma série de mudanças, inclusive a tática, o Brasil finalmente conseguiu chegar ao gol da vitória, com Aldair cabeceando livre na área aos 35 minutos do segundo tempo. Aumentava a desconfiança sobre o time, que acabaria eliminado da Copa do Mundo logo nas oitavas de final ao perder para a Argentina por 1 a 0.

Foto: Divulgação



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.