Mãe de pro-player de LOL conta como transformou desconfiança em apoio ao filho

 

O que pensa a mãe de um jogador profissional de League of Legends? A Márcia Gama, Mãe do Pedro ” Matsukaze” Gama falou sobre isso, sua reação inicial quando seu filho  disse que iria seguir essa profissão e sua visão atual da carreira dele.

Em entrevista exclusiva ao Torcedores.com, Márcia conta um pouco sobre tudo:

Então, como foi a primeira vez que o Pedro lhe falou sobre querer viver de games?, no caso LoL.

Na verdade o Pedro nunca falou em viver de games. Sempre o via jogando videogame e outros jogos no computador. Quando tinha 16 anos ele já jogava o LoL, e com o passar do tempo ele começou a me falar a respeito desse jogo. Um dia me mostrou algumas gaming houses, pra me apresentar a estrutura de tudo isso. Em dezembro de 2014 ele me falou que jogaria uma partida e se ganhasse iria pra São Paulo disputar a final. E aí foi quando tudo começou. Ele voltou dizendo que assinaria um contrato com a Kabum esports e que iria morar lá.

E como você reagiu a tudo isso? praticamente todas as mães não confiam muito nesse tipo de futuro ainda.

A minha reação a princípio foi de que eu não podia proibir, pois era o que ele gostava de fazer e se dizia bom naquilo que fazia. Me disse inclusive que não estava indo por dinheiro, que iria de qualquer maneira.

E o que acha dessa profissão para seu filho?

Eu não vejo como profissão. Acho que é o momento que ele está vivendo e que está sendo muito positivo pra ele. Ele e a equipe vem mostrando que tem muito ainda a oferecer e mostrar no futuro.

E a questão de deixar de estudar, o que acha disso?

Isso pesou muito. O Pedro passou para a Universidade que queria e pro curso que ele escolheu. Nós nunca o influenciamos. Ele dizia que o objetivo do curso escolhido seria trabalhar com games. Gostaria muito que ele retornasse um dia pra faculdade. Ainda sou do tempo que ser graduado tem um certo peso e valor.

VEJA TAMBÉM:

Mundial de LOL terá turnê na Europa e final em Berlim; veja datas

Toplane revelação do CBLoL fala do futuro da Kabum Black

Você acompanha um pouco sobre esse jogo? Ou só torce de longe mesmo?

Sou torcedora de longe. Entendo muito pouco do jogo. Inclusive pedi ao Pedro pra quando ele der um pulo em casa, me mostrar/ensinar um pouco mais sobre o jogo.

E o que o restante da família diz da carreira que ele escolheu?

O pai não concorda. O restante da família achou o máximo. Todos estão sempre perguntando como ele está indo. Todos torcem por ele.

Então, é realmente uma carreira nova, mas que quando o jogador é esforçado, pode-se ir muito longe, o Pedro é bom no que faz mesmo estando no inicio da carreira e é bem humilde para continuar crescendo, parabéns pelo filho que tem! Aos poucos todas as dúvidas e resistências sobre essa profissão irão diminuir! O que de conselho você daria para outras mães que tem filhos que querem seguir o mesmo caminho?

Sempre disse que os filhos são do mundo, essa é a missão que nos foi dada, eles nascem, crescem e partem. Eu dei ao meu filho a oportunidade e direito de ir atrás do que lhe faz feliz. Eu só tenho a agradecer pelo filho que me foi confiado. Confiem nos seus filhos e deixe-os livres para decidirem sua vida.

Eu reforço os agradecimentos a Márcia Gama pela disponibilidade para que a entrevista pudesse ter acontecido, até a próxima!

* Curtiu esta matéria? Dê um like na página do autor e o acompanhe: Tiago Ruas

Foto: Kabum e-sports



Analyst and Content Specialist eSports.