Opinião: Conjunto do Corinthians não funcionou bem no empate com o San Lorenzo

Conforme era previsto, o Corinthians enfrentou muitas dificuldades contra o San Lorenzo, atual campeão da Copa Libertadores, e não conseguiu sair do empate sem gols na Arena. No entanto, o ponto conquistado foi o suficiente para a equipe avançar às oitavas de final da competição, e de quebra garantir a liderança do grupo 2, faltando apenas uma rodada para o fim.

LEIA MAIS:
Sinal do Fox Sports cai em jogo contra o San Lorenzo e torcedores corintianos reclamam
Corinthians empata com San Lorenzo, mas bate recorde de público na Arena Corinthians

Sem Guerrero, diagnosticado com dengue, Tite voltou a apostar em Vagner Love. E o centroavante teve pífia jornada. A bola não parava em seu pé. Errou quase todas as jogadas de ataque e foi sacado no início do segundo tempo para a entrada do meia Danilo.

Ao contrário dos últimos jogos, o coletivo do Timão não funcionou tão bem. Com exceção a Renato Augusto, os demais meias (Elias e Jadson) tiveram pouca criatividade e aceitaram demais a marcação argentina. Renato foi o único atleta lúcido. Flutuou pelos lados do campo e arriscou bons chutes no primeiro tempo que foram interceptados pelo ótimo goleiro Torrico, o grande responsável pelo placar ter ficado em branco. Mas é bom dizer que Cássio foi o autor da primeira grande defesa do jogo em chute de Blanco. No restante da partida, o goleiro corintiano quase não trabalhou.

Se o primeiro tempo foi movimentado, a etapa final foi monótona. Satisfeito com o empate que lhe dava a classificação à próxima fase, o Corinthians pisou no freio e arriscou poucas subidas ao ataque. Torrico quase não tocou na bola.

Por outro lado, o San Lorenzo se retraiu e tentou surpreender o adversário em esporádicos contra-ataques. Claramente, a equipe argentina também estava satisfeita com a igualdade. Mas a sua situação segue muito complicada. Não depende apenas das próprias forças para seguir na competição. Além da necessidade da vitória contra Danubio, em casa, na última rodada, torce para que o São Paulo perca para o Timão, no Morumbi. Se o clássico paulista terminar empatado, a equipe do Papa Francisco precisa vencer o saco de pancadas do grupo por quatro ou mais gols de diferença.

A classificação corintiana foi muito merecida. Foi disparada a melhor equipe do grupo da morte. Mas há um longo caminho em busca do bicampeonato. Qualquer deslize no mata-mata pode ser fatal.

crédito foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)