Santos completa 103 anos longe do glamour do Centenário

Reprodução/Santos FC

Em 2012, as expectativas no Santos eram grandes. Afinal, o clube vencera, no ano anterior, a Taça Libertadores da América e o Campeonato Paulista. Neymar, apesar de todo o assédio do futebol europeu, continuava na Vila Belmiro, assim como Paulo Henrique Ganso, Arouca e o técnico Muricy Ramalho. Não havia crise financeira. Eram outros tempos. Três anos depois, a situação é bem diferente no Santos, que completa nesta terça-feira (14) 103 anos de história. Acabou o glamour, a badalação. Ficou, apenas, o Santos.

LEIA MAIS:
Santos 103 anos: clube é destaque nas redes sociais pelo aniversário; confira

Em 2015, o Santos se tornou um clube em reconstrução. O fantasma da negociação de Neymar com o Barcelona, em 2013, ainda assombra a Vila Belmiro sobre os reais valores envolvidos. A falta de pagamento de direitos de imagem se tornou uma constante – os atletas admitem e mostram, contudo, compreensão com a diretoria. Craques de outrora, como Neymar e Ganso, viraram história e deixaram o clube. E outros jogadores badalados como o volante Arouca, o goleiro Aranha, o lateral Mena foram para outros clubes após conseguirem, na Justiça, o fim do vínculo com o Peixe por conta de falta de pagamento. Medalhões como Leandro Damião e Thiago Ribeiro foram despachados para outros lugares. O técnico é o ex-interino Marcelo Fernandes. Tudo é muito diferente no Santos versão 2015.

Mas, como todo clube grande, o poder de recuperação do Santos é enorme. De azarão no início do Campeonato Paulista, desacreditado por muitos rivais, o Peixe chegou à fase final com a segunda melhor campanha entre todos. Decidirá, na sua Vila Belmiro histórica, a vaga na decisão contra o São Paulo no próximo domingo (19). O veterano atacante Ricardo Oliveira, o experiente Robinho – agora capitão do time – e o meia Lucas Lima são os principais atletas de uma equipe que, embora modesta (sem trocadilhos com o nome do presidente Modesto Roma Júnior) nos nomes, sobretudo em comparação com Corinthians, Palmeiras e São Paulo, se fez respeitar dentro de campo.

Sem glamour, é verdade, desacreditada em alguns momentos. Mas com a garra e a história do Santos de Pelé, Coutinho, Pepe e Neymar em cada lance.

Crédito da foto: Reprodução/Santos FC

* Curtiu esta matéria? Siga o autor no Twitter: @matheusadami



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.