Teliana e Bia quebram jejum de 26 anos‏ e podem fazer duelo brasileiro em Bogotá

No WTA de Bogotá, duas brasileiras estão classificadas para as oitavas de final no saibro colombiano. Na última segunda-feira, a jovem Beatriz Haddad Maia derrotou a local Maria Herazo Gonzalez e, hoje mais cedo, Teliana Pereira desbancou em sets diretos a italiana Francesca Schiavone, ex-top 5 e campeã de Roland Garros de 2010. Ter duas representantes nessa altura de uma mesma competição é uma façanha que o Brasil não conseguia no exterior desde 1989.

LEIA MAIS:
Roland Garros pagará mais de R$ 90 milhões em prêmios
Em baixa, Nadal chega a Monte Carlo para reeditar as regras no saibro
Bellucci e Feijão brigam por uma vaga nos Jogos Olímpicos de 2016

Naquela temporada, Andrea “Dadá” Vieira e Niege Dias alcançaram a terceira rodada de Roland Garros. Poucas semanas antes, Dadá e Gisele Miró avançaram um jogo no torneio de Roma, enquanto que Niege e a conterrânea Luciana Tella foram à segunda fase em Hamburgo. As informações são do site especializado TenisBrasil.

Vanessa Menga e Joana Cortez entraram para o seleto grupo de brasileiras que venceram partidas em torneios de alto escalão em 1999 e 2002, respectivamente, em São Paulo e Costa do Sauípe. Carla Tiene, atual capitã do Brasil na Fed Cup, seguiu o exemplo em 2006, no WTA de Acapulco. Então o País ficou sete anos sem saber o que era vencer numa chave feminina de WTA até que Teliana avançou à semifinal exatamente em Bogotá, há dois anos, para quebrar o primeiro de vários tabus.

Em seguida, a pernambucana rompeu a barreira do top 100, algo que não acontecia desde Dadá Vieira no final dos anos 1990. E, finalmente, Teliana conseguiu jogar todos os Grand Slams em 2014, obtendo, inclusive, uma vitória em Roland Garros. A número 1 do Brasil ainda repetiu outra semifinal de WTA, no Rio Open também no ano passado.

Por sua vez, Bia Haddad obteve seu primeiro triunfo em WTAs há dois anos, em Florianópolis. Mas foi, em 2015, que a promissora jogadora de 18 anos obteve seu maior resultado – em fevereiro, Bia foi às quartas de final do Rio Open, batendo duas jogadoras top 100 antes de cair para a italiana Sara Errani, vice-campeã de Roland Garros em 2012 e ex-número 1 do mundo em duplas. A paulistana chegou a ter vários match points para desbancar a rival, mas não aguentou cãibras no set decisivo.

Realidade
Nesta quarta-feira, as duas brasileiras voltam à quadra para tentar outro fato inédito – um confronto caseiro nas quartas de Bogotá, o que já garantiria uma representante na semifinal do torneio. Teliana, atual 130a do ranking, encara a luxemburguesa Mandy Minella, e Bia, número 190 do mundo, desafia a espanhola Lourdes Domingues Lino.

Teliana está invicta no saibro colombiano já que vem do título do ITF US$ 50 mil de Medellín, no último domingo, e Bia está embalada por ter furado o qualifying em Bogotá. A última vez que uma brasileira foi campeã de um WTA foi em 1988, quando Niege Dias conquistou o título em Barcelona.

Curtiu essa matéria? Siga o autor no Twitter: @fontes_matheus.

Crédito: Divulgação/Rio Open



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.