Tempo de contrato emperra renovação de Alex no Inter

Foto: Divulgação/S.C.Internacional

O meia Alex, ídolo da torcida Colorada, está a poucos passos de renovar seu vínculo com o clube e, quem sabe, encerrar a carreira por lá. Tudo vai depender, no entanto, da vontade da diretoria em firmar com o jogador um contrato mais longo do que os mandatários inicialmente propuseram.

LEIA MAIS:
Mercado da bola: Valdívia tem proposta para jogar no Goiás
Aránguiz volta aos treinos e reforça o Inter contra U. de Chile

Vitório Píffero ofereceu ao camisa 12 um contrato de apenas um ano e meio, além de uma redução significativa de seu salário e uma negociação de luvas que fosse vantajosa também para o clube, e não apenas para o jogador e seu empresário.

Contrariando o que comumente acontece, a questão salarial e o acordo de luvas foi facilmente resolvido, tendo Alex até desistido de recebê-las, mas o tempo de contrato tem emperrado a negociação. O jogador gostaria de permanecer no alvirrubro por um ano a mais do que o que ofereceu, inicialmente, a diretoria: dois anos e meio.

O jogador já está com 33 anos e, pela sua história no clube, onde fez, até então, 248 jogos, a expectativa é que pendure as chuteiras no lugar que o deu projeção mundial no futebol, por isso almeja um vínculo mais longo, para ter segurança. No entanto, a diretoria Colorada, visando conter custos, prefere estender com Alex por menos tempo.

Para se ter uma noção da situação financeira difícil da equipe gaúcha, a diretoria quase negociou Alex com o Cruzeiro, no início da temporada. Na ocasião, havia acabado de contratar sete jogadores, entre eles o meia Anderson, e vislumbrou na saída do veterano uma oportunidade de fazer dinheiro.

As negociações para a renovação de contrato de Alex começaram há quase um mês. De acordo com o próprio meia, ele e seu empresário já aceitaram boa parte das condições impostas pelo clube e agora esperam apenas o posicionamento final da diretoria – algo que está travado há duas semanas.

Foto: Divulgação / SC Internacional



Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...