3 fatores que fizeram o “Corinthians da Champions” cair na Libertadores

Barcelona x Juventus

O Corinthians foi eliminado pelo Guarani do Paraguai na Libertadores. E os alvinegros tiveram a chance de escolher adversário na sequência da competição. A derrota para o São Paulo deixou o Corinthians em um bom caminho, que não foi aproveitado.

LEIA MAIS:
Opinião: Corinthians, a eliminação já foi! Agora é hora de olhar para frente

Na pré-Libertadores, uma vitória e um empate. 1 a 1 contra o Once Caldas, na Colômbia, e 4 a 0 em São Paulo. O fantasma do Tolima estava enterrado.

Na fase de grupos, o mais marcante foi a vitória contra os tricolores. Os alvinegros fizeram uma boa partida, talvez a melhor do ano, e venceram bem por 2 a 0. O gol de Elias marcou bem a qualidade técnica da equipe comandada por Tite.

A vitória contra o San Lorenzo por 1 a 0 foi importante, assim como a goleada contra o Danúnio por 4 a 0. Os resultados, por si, mostraram e apontaram o Corinthians como um dos melhores elencos do Brasil.

Vamos aos fatores que derrubaram os alvinegros da Libertadores:

1) A eliminação para o Palmeiras no Paulistão
Foi claro e notório que a vitória do Palmeiras nos pênaltis causou estrago muito grande no time.

Em Itaquera, o Verdão jogou bem, mas o Corinthians teve chances de matar a partida. No tempo normal, a falha da zaga permitiu que Rafael Marques empatasse a partida. Nos pênaltis, Fernando Prass brilhou e defendeu a cobrança de Petros.

Os corintianos ficaram assustados com a primeira eliminação em Itaquera. O Palmeiras vibrou e fez a final com o Santos.

2) O exagero da imprensa. Time da Champions
A imprensa deixou o time do Corinthians muito inflado e, de certa forma, sem humildade. O comentarista da Band e ex-jogador corintiano, Neto, chegou a dizer que o time de Tite fazia frente para o Barcelona e poderia estar, sem problemas, disputando a Champions League de igual para igual com os adversários europeus.

Tal exagero também partiu de Casagrande, comentarista da Globo. “O Corinthians de hoje é melhor que o São Paulo de Telê e que o Flamengo dos anos 80”. É ou não é um verdadeiro exagero? Por ser início de temporada, as análises foram muito conturbadas e o Corinthians recebeu grande parte dos holofotes sem merecer.

3) Desmerecer o adversário nas oitavas
“Gostamos de campeonatos grandes,” disse Guerrero, após ver o Corinthians eliminado pelo seu maior rival no Estadual. É possível perceber a falta de humildade no atacante, assim como em todo grupo alvinegro.

Quando o São Paulo venceu no Morumbi por 2 a 0 (com todas as glórias, diga-se de passagem), alguns jogadores disseram que a derrota foi programada para poder pegar um time mais tranquilo na fase seguinte da competição.

O que os corintianos não sabiam era que o Guarani do Paraguai tinha um time modesto, mas muito bem arrumado. Os paraguaios jogam em blocos, bem posicionados e com a força do atacante Santander. Todos esses fatores deram a vitória ao Guarani por 2 a 0 na primeira partida. A falha de Cássio poderia acontecer com qualquer um. É natural.

No jogo de volta, a confiança foi maior do que a habilidade. De novo, o Guarani entrou muito consciente e sem sentir qualquer tipo de pressão. E, de novo, parte da imprensa já “classificou” o Corinthians sem antes pisar no gramado e enfrentar o adversário.

O resultado foi um jogo bem organizado, onde o Guarani envolveu o Corinthians e provocou duas expulsões. No final, ainda deixou o Itaquerão com uma derrota, deixando milhões de alvinegros chateados com o vexame.



Thiago Gomes é Administrador de Empresas. Trabalha com estratégias digitais e consultoria de e-commerce. É palmeirense e um apreciador do futebol, tanto nacional quanto internacional. Escreve para site esportivo desde 1996.