Opinião: A máscara de Dudu

Dudu
César Greco/Ag.Palmeiras/Divulgação

Comentaristas e todo o pessoal do esporte na TV e na web falaram sobre os personagens do clássico paulista na final de domingo, mas o jogador que mais chamou a atenção nessa decisão foi o recém-chegado Dudu.

Desde o começo, o jogador já fez parte de uma grande novela quando São Paulo, Corinthians e o Palmeiras brigaram pela contratação do atacante que na época era do Grêmio. Por fim, assinou contrato com o clube alviverde gerando alguma inimizades e alfinetadas de dirigentes e torcedores.

A sua passagem estava sendo razoável, claro que pelo imbróglio da contratação, esperava-se mais dele. Veio à final. O time alviverde aguardava esse momento desde 2008. Saiu na frente contra o rival Santos. Pênalti, Dudu com sua pose de meninão “fod…” pegou a bola com confiança e bateu. Para fora. Ponto negativo. Deixou de aumentar a vantagem.

Segundo jogo, o Palmeiras jogando pelo empate, mas parecia que tinha começado perdendo. Jogadores nervosos, sem nenhuma tática dentro de campo, apenas assistindo um dos melhores primeiros tempos do time santista no campeonato.

Então surgiu Dudu mais uma vez, primeiro falta aqui, depois discussões sem sentido com os jogadores do mesmo time ali. Até que em um lance bobo, mão para lá e para cá com Geovânio, tentou agredir o adversário, em frente ao árbitro que só assistia tudo enquanto a bola estava parada. Apitou, cobraram a falta, apitou novamente parando e dando cartão vermelho para os dois jogadores.

Dudu o marrento, saiu correndo e empurrou o juiz querendo tirar satisfação. Juvenil ou imbecil? Ponto negativo mais uma vez.

Não acredito que o resultado do jogo seria diferente com a presença dele até porque, o que ele mais fez foi prejudicar o clube que paga seu salário.

Crédito da foto: César Greco/Ag.Palmeiras/Divulgação



Paulista de nascimento e carioca pelo destino, estuda jornalismo pela UFRRJ. Integrou equipe de estudantes que participou de projeto sobre torcedores de futebol no Brasil. Colabora com o Torcedores.com desde 2015.