Allianz não se incomoda com veto da Globo a estádio do Palmeiras

Após pagar R$ 300 milhões pelos naming rights da nova casa do Palmeiras, a Allianz se pronunciou nessa quarta-feira sobre a polêmica na estreia do clube alviverde pelo Brasileirão em que foi prejudicada pelo veto às placas com o nome da empresa. O diretor de marketing da empresa, Felipe Gomes, afirmou que encara com naturalidade o ocorrido e prefere não fazer ‘caça às bruxas’ com a Rede Globo, emissora que detém os direitos de transmissão do torneio.

LEIA MAIS: 
CBF culpa empresa terceirizada e autoriza o uso dos naming rights do Allianz Parque; entenda
CBF pede para que o Palmeiras esconda placas com patrocínio da Allianz; entenda
Funcionária do Palmeiras faz alerta sobre proibição da CBF à Allianz: “Vamos perder mando de campo”

“O que aconteceu no sábado (jogo entre Palmeiras e Atlético-MG no Allianz Parque) é normal. Faz parte de um processo de amadurecimento do mercado. Aconteceu assim na Europa e nos Estados Unidos, naturalmente isso poderia acontecer aqui também”, disse o executivo em entrevista ao jornalista Erich Beting, do portal Máquina do Esporte.

Gomes não acompanhou a partida que terminou empatada em 1 a 1 na qual as placas com o nome da Allianz foram cobertas. A CBF explicou que houve excesso de zelo da empresa terceirizada encarregada dos procedimentos operacionais, e a seguradora alemã está autorizada a manter o nome na publicidade estática secundária.

Vale lembrar que, no Paulistão, a Globo alterou o símbolo do Red Bull Brasil em transmissão do jogo contra o Palmeiras para evitar propaganda involuntária. Por isso, para muitos (principalmente os torcedores palmeirenses que reclamaram bastante nas redes sociais), esconder o nome da Allianz estava dentro do script da emissora, que não divulga a marca de empresas concorrentes a seus parceiros.

Para o diretor de marketing da Allianz, nada disso muda o foco da empresa com o naming right da arena do Palmeiras.  “O naming right está funcionando. Os resultados estão dentro do esperado. Nosso investimento segue sólido. Tudo faz parte de um processo de amadurecimento. Manteremos o patrocínio, da mesma forma como fizemos nas outras arenas que temos os direitos de nome”.

O patrocínio do estádio do Palmeiras, o Allianz Parque, foi assinado com a construtora WTorre e é válido por 20 anos. O vínculo pode ser renovado por mais uma década e custa R$ 15 milhões ao ano.

A Arena do Verdão é o sexto estádio que tem o patrocínio da Allianz, sendo o mais famoso a Allianz Arena, estádio dos alemães do Bayern de Munique. As demais espalhadas pelo mundo são: o Allianz Stadion (Viena, na Áustria), Allianz Park (Londres, na Inglaterra), Allianz Stadium (Sydney, na Austrália) e Allianz Riviera (Nice, na França).

Curtiu essa matéria? Siga o autor no Twitter: @fontes_matheus.

Foto: César Greco



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.