Carta aberta para Bernie Ecclestone

Fonte: Torcedores.com

Caro senhor Bernie, tudo bem? Não, ainda não nos conhecemos, embora gostaria muito de sentar com você, tomarmos uma bebida e conversarmos um pouco. Veja só, que falta de educação a minha, nem me apresentei. Meu nome é Murilo Camano Murr, tenho 26 anos, sou apaixonado por F1 e sou Brasileiro como: Pace, Fittipaldi, Piquet, Senna, Barrichello, Bernoldi, Diniz, Di Grassi, Massa, Nasr, acredito que se lembre desses nomes (ou sobrenomes) não é mesmo?

Leia Mais: McLaren cumpre promessa e muda layout do carro

Façamos as contas, Nasci em 1988, ano do primeiro título do Senna, não serei hipócrita de dizer que me lembro dos títulos de Ayrton, mas vou dizer com um grande fundo de verdade que tenho vagas lembranças de quando era apenas uma criança de ver um carro branco e vermelho com um capacete amarelo na TV da sala, embora não soubesse o que aquilo significasse.

Também vou dizer que chorei aos seis anos de idade em maio de 1994, o motivo você deve saber não é mesmo?  Bom, um pouco antes de 1994 até 2015 posso afirmar que dificilmente deixei de assistir F1.

Fui a um GP, inesquecível para mim, não há como negar, GP Brasil de 1998, vitória de Mika Hakkinen, com Coulthard em segundo e Schumacher fechando o pódio. Eu era particularmente apaixonado pelas Jordan Amarelas, pilotadas por Hill e Ralf Schumacher, o motivo? Sinceramente não sei, mas considero essa Jordan um dos mais belos carros de toda F1.

Presenciei muita coisa na categoria, os sete títulos de Schumacher, o domínio das McLaren com Hakkinen e Coulthard, o domínio da Ferrari com Schumacher batendo em Barrichello, torci para Alonso com sua Renault desbancar a Scuderia de Maranello , assisti vitórias épicas como a de Barrichello em Hockenhein, Vettel em Monza, Button na Hungria, Hamilton no Canadá, Fisichella no Brasil.

Assisti lindas disputas de títulos como Massa X Hamilton em 2008, Villeneuve X Schumacher. Alonso X Hamilton X Kimi. Schumacher X Hill. Presenciei o surgimento de uma equipe e esta levar o campeonato de construtores e pilotos e ser vendida entrando pra história da categoria como única equipe a vencer todos os campeonatos de F1 que disputou: apenas um. Vi Vettel e RedBull dominarem por 4 anos e hoje vejo a Mercedes dominar de forma humilhante a categoria.

O que aconteceu na categoria antes de eu nascer pude assistir graças ao Youtube, sabe aquele site de vídeos que tudo o que colocavam de F1 após as corridas você mandava tirar e agora criou um canal por lá?  Fiquei sabendo que a F1 abriu um canal por lá esse ano, já era hora, não?

Falando em tecnologias, ano passado eu instalei e paguei pelo aplicativo oficial da F1, um aplicativo muito legal, diga-se de passagem, volta a volta, tempo real, bandeira amarela, tempo de pitstop, tempo de volta de todos os pilotos, localização dos pilotos na pista, diferença de tempo, uma ferramenta fenomenal para um torcedor aficionado pelo esporte.

Porém no inicio dos treinos livres para o GP da Austrália 2015 uma surpresa ao acessar o aplicativo para acompanhar de forma detalhada os treinos, me deparei com uma atualização que custava quase R$ 75,00.

Convenhamos que esse preço é um absurdo, durante a ultima corrida (Bahrein) muitos usuários que não atualizaram (e claro, não pagaram) o aplicativo relataram problemas ao tentar acessar as informações, o que não ocorreu com quem atualizou (e pagou).

Sabe Bernie, às vezes eu entro naquele site de vídeos, o Youtube para assistir a vídeos antigos da categoria, motores berrando, diferentes formatos de motores, tais como V8, V10, V12, carros com 6 rodas, carros com rodas pequenas, rodas grandes, carros totalmente diferentes esteticamente falando, asas malucas,  misturas de gasolina pobre e gasolina rica, pré classificações, warmup muitos carros na pista e olho para a F1 de hoje e penso: O que aconteceu?

Ano passado um novo regulamento estreou e o que vimos? Uma equipe faliu, outra quase. Um piloto no hospital até hoje sem saber sequer se acordará um dia. Em duas corridas tivemos apenas 18 carros largando.  O barulho dos carros nos remete a aspiradores de pó, o motor não chama mais motor e sim unidade de força (ou potência), pilotos de corrida têm de economizar gasolina e começar a prova com pneus desgastados.

Esse ano, o regulamento teve continuidade, teremos 19 corridas só que cada piloto tem direito a quatro motores apenas, se passar disso, soferão punições, começando com perdas de posições no grid e podendo chegar a tempo adicionado no final da corrida. RPM limitadas, um câmbio de oito marchas sem que se possa alterar sua relação durantes as provas, em alguns circuitos os tempos de 2014 e 2015 subiram quase 3s quando comparados à tempos obtidos em 2011, 2012, 2013, insano, não?

Tem mais, o campeonato acaba e você tem um bolo de grana pra repartir com as equipes e o que você faz? Reparte tudo de forma errada, dá mais dinheiro pra umas equipes e menos pra outras. Pô, todas fazem parte do espetáculo, que tal dar condições iguais para todas?

Quando você tiver um tempo entra naquele site de vídeos que falei pra você, se você não souber mexer no computador, pede pra alguém entrar pra você, dá uma olhada nas corridas antigas, ouça o barulho, não queira fazer da Fórmula 1 um laboratório, faça a Fórmula 1 voltar a ser o que era, corrida de carros, barulhenta, com cheiro de gasolina, disputas emocionantes.

Há algumas ideias para melhorar o espetáculo, algumas antigas, inclusive, você pode até se espelhar em outras categorias, não é vergonha alguma, dê uma olhada na Nascar, Indy, MotoGP. Dê pontos pra quem fizer a pole e também a volta mais rápida, forneça super pneus pra classificação, deixe os pilotos largarem com pneus limpos. Facilite a entrada de equipes competitivas no certame, seria algo bem legal. Permita a venda de chassis, encha o grid com 30 carros, mais contato de pilotos com o público e pare com regras estúpidas. Não pense só em dinheiro, a F1 anda tão chata que pilotos do calibre de Raikkonen, Vettel e Hulkenberg já cogitaram deixar a categoria desde que o novo regulamento entrou em vigor.

Lembro-me uma vez que você disse querer três carros por equipe, confesso que achei um pouco exagerado, então pensei e cheguei a uma conclusão legal: Porque você não faz uma corrida especial no meio da temporada? Por exemplo, o campeonato tem 19 corridas, certo? A décima corrida que seria exatamente o divisor de águas depois das nove primeiras e antes das nove ultimas, nessa corrida cada equipe que quiser pode colocar três carros na pista, pilotos gabaritados convidados para correr nesses terceiros carros e porque não pontuação dobrada nessa corrida especial? Não sei você, mas eu acho essa uma ideia fenomenal.

Meu velho, a F1 está desinteressante, chata, silenciosa e morrendo. Os pilotos encontram vida fora dela, que tal agitar e mudar as coisas? Só uma pessoa é capaz de trazer a categoria de volta, você. Para o bem do esporte, coloque as mãos na massa, mude isso, pense no espetáculo, lembre-se dos tempos áureos. É uma falta de respeito com os fãs, com os pilotos e com a categoria o que acontece na F1 nos dias de hoje.

Fique a vontade para me responder essa carta quando quiser. O convite para sentarmos, tomarmos uma bebida e conversarmos ainda esta em pé. Como o homem rico que você é, sei que você possui uma propriedade grande no Brasil na cidade vizinha de onde eu moro.

Sinceramente espero que você aceite meu convite, caso não queira me encontrar, reflita um pouco sobre o conteúdo dessa carta, acredito que há muitos por aí que pensam como eu e concordam comigo. Fico no aguardo de um eventual retorno do senhor, estou à disposição para que você precisar, forte abraço.



Serranegrense de 26 anos. Diferente da maioria dos escritores,não sou jornalista formado, e sim cientista, detalhe esse que não diminui minha paixão pela escrita automobilística. Apaixonado por esportes à motor desde criança, se há corrida passando na TV, paro pra assistir independente do que tenho pra fazer. F1, F-Indy, Motogp, Stock Car, Formula-E.