Dunga aposta em experiência de Robinho e liderança de Neymar; Confira

A convocação para a Copa América teve como destaque o retorno de Robinho que, assim como em 2010, fez uso de um bom início de temporada para garantir uma convocação para atuar pela seleção brasileira. O jogador, destaque no Santos campeão paulista, terá um outro papel na equipe, como afirmou Dunga, na coletiva de hoje, no Rio de Janeiro.

“O Robinho, logicamente hoje, é um jogador mais experiente. Sabe do papel que tem dentro da seleção no momento. Vive um grande momento no Santos, assim como em outras épocas”, afirmou Dunga, fazendo alusão a 2010, quando o atacante retornou ao Santos, fez um grande primeiro semestre, conquistando o Paulistão e encaminhando a Copa do Brasil, ao lado de Neymar e PH Ganso. Mas agora, ele afirmou que a responsabilidade dele no elenco, será outra.

“Naquela época ele era referência, chamou a responsabilidade na Copa América. Agora ele vem num papel um pouco diferente. Vem pela capacidade técnica, mas com uma responsabilidade maior” destaca o treinador, que agora vê em Robinho um jogador experiente, que pode ser um jogador mais de grupo.

Outro destaque de Dunga é o papel de liderança assumido por Neymar. O jogador assumiu o papel de capitão da equipe, desde o primeiro jogo na nova era Dunga, e vem impressionando o treinador, capitão da Seleção Brasileira em duas Copas do Mundo: 1994 e 1998. Além disso, ele vê uma melhoria do atual camisa 11 do Barcelona, e 10 da Seleção Brasileira.

“Pode ser casual, mas, desde que ele virou capitão, os gols no Barcelona aumentaram. Isso se deve à maturidade que ele vem tendo, tanto na seleção quanto no Barcelona, e sua habilidade de driblar os desafios. Esperamos que ele siga uma referência para os demais jogadores”, afirma, vendo notadamente que seu comportamento no clube é outro, de um jogador mais preparado.

Outro ponto destacado pelo treinador é o fato da Seleção fazer treinos fechados na Granja Comary, durante a preparação. A ausência destes treinamentos foi apontada como uma das causas do fracasso brasileiro na Copa do Mundo. Dunga foi contundente ao comentar sobre o assunto.

“Entendemos que o torcedor gosta de estar perto, temos de respeitar. Quanto a fechar a Granja, é impossível, pelas regras. Para o futuro, vai se observar algo para que tenhamos em algum momento algo mais reservado. Para o bem da seleção, vamos pedir bom senso. Para quem não entende muito: vamos repetir jogadas quatro, cinco vezes, até que dê certo, sem muito rumor. É preciso ter tranquilidade para realizar o trabalho”, concluiu o treinador, que busca levar repetir a campanha de 2007, quando a Seleção conquistou o título contra a Argentina.

A apresentação do elenco está marcada para o dia 1ºjunho e treina até o dia 6. Depois, dois amistosos contra: México (dia 7, no Allianz Parque) e Honduras (dia 10, no Beira-Rio). A equipe estreia na Copa América no dia 14 junho, contra o Peru, em Temuco. Além da seleção peruana, o Brasil enfrenta a Colômbia, rival na última Copa do Mundo e a Venezuela, que chegou na semifinal na última edição, em 2011.

Crédito da foto: Getty Images



Jornalista de 28 anos, com passagens em diversos sites como UOL Esporte, Trivela, Fanáticos por Futebol, Doentes por Futebol e revistas como IstoÉ 2016.