Era Parmalat no Palmeiras também começou com a perda de um Paulista

É claro que não há comparação entre o caminhão de dinheiro injetado pela multinacional italiana Parmalat no Palmeiras, nos anos 1990, e o momento vivido atualmente pelo clube alviverde. Mas uma coisa liga a reestruração que o Verdão fez em 2015 ao início da caminhada vitoriosa com a parceria daquela época.

A Parmalat chegou ao Palmeiras em 1992 e trouxe com ela a esperança de colocar um ponto final na seca de títulos que o clube vivia desde 1976. Contratações foram feitas, a camisa do Palmeiras mudou para aquele modelo com um verde estranho e listras brancas.

A primeira chance, assim como agora, veio no Paulistão. O adversário era um São Paulo que voltava do Mundial de Clubes no Japão. Resultado: derrota. O Tricolor ganhou a América, o mundo e ainda vinha direto da Ásia para tomar do Verdão o título que seria a cura dos problemas com a falta de taças.

Seis meses depois, com a inversão do calendário do futebol brasileiro, o Palmeiras voltou à final do Paulistão e foi campeão contra o Corinthians com um 4 a 0 histórico no dia 12 de junho de 1993. Naquele ano, ainda ganhou o Torneio Rio-São Paulo sobre o mesmo rival e seria campeão brasileiro ao bater o Vitória.

Pelo menos na história, o Palmeiras encontra uma inspiração que mostra que nem sempre vencer o primeiro torneio é sinal de um projeto vitorioso. Em 2008, o Verdão ganhou o Paulistão na primeira competição disputada na parceria com a Traffic. Depois disso? Mais nada. Só levantou a Copa do Brasil quando não havia mais parcerias no clube.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.