Flamengo luta para não ser coadjuvante de novo no Brasileiro

Getty Images

O Flamengo é mais uma equipe que deve passar o Campeonato Brasileiro na “zona cinzenta”. Ou seja: nem vai sonhar com vaga na Taça Libertadores de 2016, tampouco vai brigar contra o rebaixamento. O desempenho rubro-negro no nacional deve ser o mesmo dos últimos anos: na zona intermediária.

Desde que foi campeão em 2009, o Flamengo não consegue ter um desempenho regular no Brasileirão. Em 2010, o clube despencou para o 14º lugar; em 2011, ficou em 4º. Já em 2012, nova queda, em 11º. Em 2013, quase o time foi rebaixado por causa de pontos perdidos por escalação irregular e terminou em 16º. No ano passado, finalmente, o Flamengo foi o 10º.

Nem no Campeonato Carioca a equipe encontrou salvação em 2015. Foi eliminada na semifinal pelo arquirrival Vasco, que acabou levantando a taça. Se o título no Flamengo é algo quase impossível, pelas condições atuais do time, restará ao rubro-negro abrir os olhos para não cair. A possibilidade existe, embora não tão grande quanto em outras temporadas.

O time está longe de ser um primor. Mas há bons jogadores. O colombiano Armero, principal reforço do clube para o Brasileiro, pode dar experiência à lateral esquerda do clube. A zaga tem bons atletas. Marcelo Cirino e Alecsandro, no ataque, são jogadores rodados e que dão trabalho às defesas adversárias.

Mesmo assim, se o Flamengo conseguir terminar o Campeonato Brasileiro à frente de Vasco e Fluminense, pode se dar por satisfeito. O provável destino do clube é terminar classificado para a Copa Sul-Americana.

O Flamengo estreia no Brasileirão 2015 neste domingo (10) diante do São Paulo, no Morumbi, às 16h.

Ficha Técnica:

Elenco: Muita gente saiu do Flamengo do fim do ano passado para cá. Muita gente também chegou. Os destaques foram as contratações do lateral-direito Pará e do atacante Marcelo Cirino, além do lateral-esquerdo Armero. Por outro lado, o time perdeu a principal referência: o lateral-direito Léo Moura. O time base é Paulo Victor; Pará, Bressan (Samir), Wallace e Armero; Cáceres, Márcio Araújo e Mugni; Everton, Marcelo Cirino e Alecsandro.

Treinador: Vanderlei Luxemburgo resistiu ao assédio do São Paulo e continua na Gávea. O treinador é bom e tem currículo.

Destaque: Marcelo Cirino. O atacante é o grande nome do ataque do Flamengo. Rápido e com faro de gol, se destaca na linha de frente.

Para ficar de olho: Arthur Maia. O meia, que veio do América-RN, joga bem quando é lançado no time.

Jogos que prometem: O Flamengo tem páreo duríssimo logo na estreia: enfrenta o São Paulo, domingo (10), no Morumbi.

Problemas do elenco: O time sofre muito com as mudanças de jogadores, sobretudo no meio de campo. Cáceres, Márcio Araújo, Luiz Antônio, Jonas e Canteros se revezam como volantes, enquanto Mugni e Arthur Maia dividem com Everton a missão de armar o time. Na zaga, o bom Samir está machucado.

Desempenho em 2014: O Flamengo encerrou o nacional do ano passado no 10º lugar, com 52 pontos, a 10 da zona de classificação para a Taça Libertadores. Bom desempenho para quem flertou com o rebaixamento durante o primeiro turno.

Crédito da foto: Getty Images



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.