Irã planeja construir autódromo para receber a F1

A Fórmula 1 tem realizados já há alguns anos Grandes Prêmios em países sem qualquer tradição no automobilismo. E isso têm atraído o desejo de novos países em receber a categoria mais famosa do automobilismo mundial. Desta vez, quem volta a demonstrar vontade em receber o campeonato é o Irã, que planeja a construção de um autódromo na ilha de Qeshm, distante 1.500 quilômetros de Teerã.

LEIA MAIS:
Dale Jr. fatura etapa de Talladega e se torna o oitavo vencedor do ano na Nascar
MotoGP: Lorenzo vence de ponta a ponta o GP da Espanha

Segundo a Agência de Notícias da República Islâmica (IRNA, na sigla em inglês), o chefe do Patrimônio Cultural, do Artesanato e Turismo do Irã, Masoud Soltanifar, foi o responsável por divulgar o interesse do país árabe em sediar uma etapa da Fórmula 1.

“O Irã tem muitos jovens com uma tendência cada vez maior para pilotar. A Fórmula 1 tem um ótimo futuro no Irã”, disse Soltanifar, que também acumula o cargo de vice-presidente iraniano, à IRNA.

Esta não é a primeira vez que o Irã demonstra interesse em sediar uma etapa da categoria. Em 2011, foi divulgada a intenção de construir um autódromo na cidade de Parand, 35 quilômetros ao sul de Teerã, mas a ideia não foi para frente.

Porém, o especialista em patrocínios Zak Brown alegou ao site do canal americano “Fox Sports” que o fato poderia desagradar ainda mais os patrocinadores da Fórmula 1, que já estariam insatisfeito com a baixa quantidade de etapas na Europa.

“Estamos adicionando alguns bons circuitos, mas então exista esta especulação de uma terceira corrida no Oriente Médio. Como podemos ter três corridas lá e nenhuma na Alemanha?”, disse Brown.

Atualmente a Fórmula 1 realiza duas corridas em países árabes: o GP do Bahrein, no circuito de Sakhir, e o GP de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, disputado na Marina Bay.

Foto: Pirelli



Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.