Jô desencanta após um ano e dá o título ao Atlético-MG

Cartola FC
(Foto: site oficial Atlético-MG)

Comandado pelo técnico Levir Culpi, o Atlético-MG conquistou o 43º título estadual da história ao vencer a Caldense por 2 a 1 em Varginha. Thiago Ribeiro e Jô saíram do banco para marcar os gols do campeão. O artilheiro Luiz Eduardo descontou para o time do interior.

LEIA MAIS:
Domingo terá 11 campeões estaduais pelo Brasil; confira os jogos

Reserva de Fred na Copa do Mundo de 2014, o atacante Jô não fazia um gol desde 10 de abril de 2014, quando marcou na vitória por 1 a 0 sobre o Zamora, da Venezuela, na Libertadores. Desde então ele passou em branco nos três campeonatos que disputou: o Mundial pela seleção brasileira, Brasileirão e Copa do Brasil pelo time mineiro.

Em jogo bastante movimentado, a Caldense perdeu uma série de chances no primeiro tempo. Em uma delas, o atacante Luiz Eduardo se infiltrou no meio da zaga e emendou chute de primeira, mas a bola passou à esquerda do goleiro Victor. Do lado atleticano, Luan acertou a trave após boa jogada de Dátolo aos 43min.

No segundo tempo, o técnico Levir Culpi promoveu duas mudanças no Atlético-MG. Thiago e Giovanni Augusto substituíram Carlos e Leandro Donizete.

O jogo recomeçou quente na volta do intervalo. A Caldense quase abriu o placar após arrancada de Nadson, mas Marcos Rocha desviou para escanteio. O Atlético-MG respondeu com Giovanni Augusto. O meio-campista deu uma cavadinha na saída do goleiro, mas a bola foi para linha de fundo. Aos 6min, Dátolo teve outra chance, mas pegou mal.

Thiago Ribeiro abriu o placar para o Atlético-MG aos 11min da segunda etapa. Na jogada mais conhecida do ataque mineiro, Marcos Rocha cobrou lateral, Lucas Pratto desviou de cabeça e Thiago Ribeiro só teve o trabalho de empurrar para o gol de Rodrigo.

O gol teve participação decisiva do técnico Levir Culpi, que bancou a escalação de Marcos Rocha e colocou Thiago Ribeiro em campo no segundo tempo.

Artilheiro da Caldense no campeonato, Luiz Eduardo empatou o jogo aos 15min do segundo tempo. Em cobrança de falta de Rafael Estevam, o goleiro Victor espalmou, o centroavante aproveitou o rebote ao bater de pé esquerdo e deixar tudo igual no Estádio Melão.

Como só a vitória interessava ao Atlético, Levir Culpi colocou o atacante Jô no lugar do lateral esquerdo Douglas Santos. Com isso, o argentino Dátolo foi deslocado para compor o setor.

Em mais um lance de Marcos Rocha, o lateral direito cruzou para Jô, que marcou o segundo do Atlético no jogo. Ele não marcava há 1 ano e dois meses e chorou bastante na comemoração. A Caldense reclamou bastante do lance, alegando que Jô estaria impedido no lance.

Após o apito final, a torcida mineira protestou com gritos de “vergonha, vergonha, vergonha!”.

O resultado em Varginha marcou a primeira derrota da Caldense em 2015. O time mineiro tem a melhor defesa do Mineiro, com apenas seis gols tomados.