LoL: O que mudou desde a chegada dos sul-coreanos ao Brasil

Após pouco mais de um ano desde que a Keyd Stars trouxe SuNo e Winged para fazerem parte da Line Up de League of Legends (LOL) o cenário brasileiro cresceu de maneira acelerada, mas qual a porcentagem de contribuição que eles tiveram nisso?

Foi um grande marco, os primeiros sul-coreanos a atuarem em um time brasileiro, devemos isso a Keyd, naquele momento a organização começava a montar um time imbatível, junto com a contratação do brTT, a line up formada por Mylon, Winged, SuNo, brTT e Loop, dominariam o cenário brasileiro por 5 meses. Os times BR se depararam com um estilo de jogo acelerado por parte dos coreanos e foram obrigados a tentarem alcança-los.

LoL_Coreanos

Ironicamente, o primeiro time a bater de frente com a Keyd foi a paiN também com dois sul-coreanos em sua formação, Han “Lactea” Gi-hyeon e Kim “Olleh” Joo-Sung, posteriormente AD Carry e Suporte (Uma botlane temida).olleh-lactea-chegada-aeroporto

Mas nas semifinas do CBLoL de 2014 pudemos ver que os brasileiros estavam atendendo a exigência de gameplay que os sul-coreanos causaram, assim tivemos CNB e Kabum na final, o que foi isso? Foi a perseverança dos brasileiros em se superarem e nunca desistirem dos desafios impostos. Sim caro amigo, nosso cenário estava evoluindo.final

Com tudo isso, SuNo e Winged retornaram para a Coreia, Lactea e Olleh também tiveram que voltar com problemas no visto de trabalho. No final de 2014 e inicio de 2015 chegaram novos coreanos ao Brasil, fora de cronologia tivemos Lee “Nexus” Jun-woo e Ha “Nicker” Djihoon no time da Big Gods. Sem sucesso nos campeonatos Tier 2, problemas de administração acumulou com as saudades de casa e os dois voltaram para a Coreia. Já não era tão simples para coreanos se destacarem aqui.

nexus-nicker-big-gods

 

LEIA MAIS:

Guia do CBLoL Parte 1

E talvez a maior prova da evolução do nosso cenário seria o desempenho de Kang “Daydream” Kyung-min e Kim “Emperor” Jin-Hyun, jogadores contratados pela Keyd no fim de 2014. Com currículos e experiência superiores ao de SuNo e Winged atrelado a uma boa comunicação, era certo o sucesso deles no Brasil, Era? Não! Mesmo com uma boa campanha no primeiro split no CBLoL, o time não convenceu e terminou em segundo lugar, era visível a tristeza dos coreanos por isso, eles culturalmente se cobram bastante. Claro que a culpa não foi deles, estava ali a prova da força do nosso cenário, evoluímos caro amigo, talvez sejamos o cenário que mais cresceu nos últimos tempos, e a INTZ era a cara dessa evolução.

emperor-daydream-chegada-brasil-post

Com tudo isso, os sul-coreanos retornaram para sua terra e vamos ter um segundo split do CBLoL sem nenhum deles, mas posso garantir que será de altíssimo nível, o mais disputado de todos, só temos que agradecer ao SuNo, Winged, posteriormente Lactea e Olleh, esses caras ajudaram demais! Não podemos esquecer da grande iniciativa histórica da Keyd Stars, obrigado a todos coreanos pela enorme contribuição em nosso crescimento!

우리를 도와 주셔서 대단히 감사합니다

Curtiu esta matéria? Dê um like na página do autor e o acompanhe: Tiago Ruas

Fotos: Keyd Stars/Riot Games/MyCNB



Analyst and Content Specialist eSports.