Opinião: Corinthians não deve renovar contrato com Emerson Sheik

crédito foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Daqui a menos de dois meses, mais precisamente no dia 31 de julho, chegará ao fim o vínculo de Emerson Sheik com o Corinthians. Ambas as partes ainda não entraram em acordo para a renovação contratual. Membros da diretoria alvinegra são contra a permanência do atacante.

LEIA MAIS:
Guaraní-PAR x Corinthians: saiba o que está em jogo
Padre Marcelo é da Fiel, mas não fala palavrões durante os jogos

Penso que o Timão não deve manter o jogador no segundo semestre. Sheik foi fundamental na conquista da inédita da Copa Libertadores de 2012, mas hoje o seu custo benefício está longe de ser interessante. É dono de um dos mais altos salários do elenco e tem produzido pouco.

Nas 14 partidas oficiais que esteve em campo em 2015, o atacante fez apenas três gols. Nas primeiras semanas de fevereiro, ele até deu a impressão que voltaria a reviver os bons momentos de 2012. Foi protagonista nas vitórias sobre Once Caldas e São Paulo, ambas pela Copa Libertadores. Desde então, teve apenas exibições burocráticas, muito parecidas com as de 2013. De abril a outubro de 2014, o camisa 11 esteve emprestado ao Botafogo.

O histórico de indisciplina também pesa contra a renovação. Com a camisa corintiana, contando as suas duas passagens, recebeu seis cartões vermelhos, o último deles contra o São Paulo, na última rodada da fase de grupos da Libertadores. Ele cumprirá a suspensão automática na noite desta quarta-feira, contra o Guaraní-PAR, pela partida de ida das oitavas de final. E ele tem grandes chances de nem atuar mais pela competição. A Conmebol vai julgar o atleta por conduta violenta. Ele pode pegar de três a seis jogos.

Outro fator que o prejudica são os problemas médicos. Durante a fase de grupos da Libertadores, Sheik teve uma inflamação no joelho e foi desfalque contra o San Lorenzo, em Buenos Aires. Na última terça-feira, ele reclamou de dores no joelho direito e ficou no departamento médico fazendo tratamento.

Para o segundo semestre, o Corinthians deveria ir atrás de um novo atacante que se encaixe na filosofia da nova diretoria: bom e barato. O complicado momento financeiro não permite grandes loucuras como no passado.

crédito foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)