Rhumell errou a mão ao fazer camisa do Palmeiras em 2000

Como falamos no último especial sobre camisas, a Rhumell ficou no Palmeiras de 1993 até 1997. Depois reassumiu a camisa do Verdão no meio da Libertadores de 1999 e acabou dando sorte: o Palestra levantou o torneio continental.

Em 2000, último ano da co-gestão com a Parmalat, a fornecedora de material esportivo se aproximou mais do Verdão. As reuniões por novas camisas eram frequentes.

Como o Palmeiras disputava a Libertadores e chegou até a final, uma camisa comemorativa já estava sendo confeccionada. Seria o bicampeonato palmeirense na Libertadores. Mas não aconteceu. O Boca Júniors levantou o título no Morumbi após bater o Verdão nos pênaltis.

A ressaca da derrota foi grande. Tão grande que a Rhumell fez uma das camisas mais feias, de acordo com um grande número de palmeirenses.

Para a disputa da Copa dos Campeões, o Verdão usou um uniforme com quatro tons de verde. O verde da barra era o mais escuro, um frizo vermelho, um verde mais claro, e assim por diante. O patch da Copa Libertadores de 1999 muito pequeno, assim como o símbolo do clube. O verde que ficava na parte de cima era total controverso da história do clube: um verde água, muito mais claro. Os detalhes em vermelho era uma clara homenagem a Itália (que não deve ter gostado muito).

O Verdão levou a Copa dos Campeões e se classificou para a Libertadores de 2001, quando também foi eliminado pelos argentinos do Boca.

No final do ano, o time chegou à final da Copa Mercosul. No primeiro tempo, contra o Vasco, o Verdão fez 3 a 0.

Muitos palmeirenses, inclusive, deixaram o Palestra Itália para iniciar as comemorações do título que estava chegando. Mas a galera mal poderia esperar: com uma iniciativa incrível de Romário, Juninho Paulista e Juninho Pernambucano, os vascaínos viraram para 4 a 3 e levaram o título na casa palmeirense.

O uniforme mais feio do Palmeiras na história também carrega a maior virada que o clube já sofreu em uma final de campeonato.

Crédito da foto: Getty Images



Thiago Gomes é Administrador de Empresas. Trabalha com estratégias digitais e consultoria de e-commerce. É palmeirense e um apreciador do futebol, tanto nacional quanto internacional. Escreve para site esportivo desde 1996.