Rogério Ceni confirma aposentadoria em agosto e lamenta eliminação precoce

Getty Images

A afirmação feita por Rogério Ceni, de que aquele foi seu último jogo em Libertadores, ao final do duelo com o Cruzeiro, ontem, no Mineirão, que rendeu a eliminação do São Paulo, era mesmo real. No desembarque da delegação Tricolor em Congonhas, no início da tarde, o goleiro reiterou que se aposentará em agosto, durante o Brasileirão.

LEIA MAIS:
Rogério Ceni: vale a pena continuar?
Opinião: São Paulo merecia ser eliminado da Libertadores. E o Cruzeiro também

“Existe um contrato assinado. Sempre deixei todos à vontade sobre a renovação. Decidiram renovar até 6 de agosto, e assim será feito”, disse, resignado. É uma pena se despedir, era a última possibilidade de jogar uma final e ser campeão. Lamento só por isso, mas acho que fizemos coisas bacanas no decorrer da Libertadores. Não merecia ser encerrado dessa maneira, tão cedo. Poderíamos chegar bem mais longe”, lamentou-se, depois.

A declaração do goleiro coloca fim às esperanças do torcedor do São Paulo, de vê-lo estendendo seu vínculo até o final do ano e, assim, ter a possibilidade de levantar mais um troféu pelo clube. No segundo semestre, o time terá o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil para disputar e ambos terminam apenas em dezembro.

Com a confirmação da despedida, Rogério Ceni terá, no mínimo, mais 15 jogos para fazer pelo São Paulo (todos pelo Brasileirão), antes de pendurar as luvas, sendo o último deles contra o Atlético-MG, fora de casa, no dia 2 de agosto. Curiosamente, o alvinegro de Belo Horizonte foi o adversário do Tricolor em outra partida histórica para o goleiro-artilheiro: a 1000º dele pelo clube, em 2011.

Foto: Getty Images



Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...