Rogério Ceni se despede da Libertadores com três títulos na bagagem

Getty Images

Quando o pênalti batido por Gabriel Xavier balançou a rede do gol defendido por Rogério Ceni, no Mineirão, a Libertadores de 2015 acabou para o São Paulo. Derrotado por 1 a 0 no tempo normal, mesmo placar do jogo de ida das oitavas-de-final, no Morumbi, uma semana antes, o time acabou sucumbindo também nas cobranças de pênaltis.

LEIA MAIS:
Ceni confirma: derrota para o Cruzeiro foi sua despedida da Libertadores

Apesar de ter defendido duas cobranças e mantido a equipe viva na disputa até as cobranças alternadas, Rogério Ceni saiu de campo completamente abatido, evitando até dar entrevista. O pouco que falou, no entanto, foi impactante: o goleiro admitiu que essa foi a última Libertadores de sua carreira.

Goleiro do São Paulo desde 1990, ele esteve no elenco do clube nas três conquistas continentais do Tricolor, em 92, 93 e 2005 – esta última, como titular e destaque absoluto. Na edição deste ano, o goleiro jogou em toda a campanha, que teve cinco vitórias e três derrotas e sofreu cinco gols, sem fazer nenhum.

No total, Rogério Ceni disputou, além das três edições em que saiu campeão, oito Libertadores, sendo sete como titular da meta são paulina. O melhor resultado que teve, excetuando os títulos, foi o vice-campeonato de 2006, quando o clube foi derrotado pelo Inter. Em 2010 e 2004 foi semifinalista e em 2008 e 2010 parou nas quartas-de-final.

Os piores resultados do goleiro na competição foram, justamente, as duas últimas edições, quando já cogitava se aposentar, e em 2007, eliminado pelo Grêmio, nas oitavas-de-final. Em 2013, caiu nas mesmas oitavas-de-final, para o Atlético-MG e, neste 2015, novamente nas oitavas, para o outro grande de Minas Gerais, Cruzeiro. Mais um dado curioso é que apenas uma dessas eliminações não foi para um time brasileiro.

Rogério Ceni anunciou, no início do ano, que encerraria sua carreira em agosto, mês em que acaba a Libertadores, crente de que o São Paulo chegaria até a final. Agora, com a eliminação precoce, para os anseios do arqueiro, a tendência é que ele mantenha sua palavra e pendure as chuteiras durante o Campeonato Brasileiro, que começou no domingo.

Foto: Getty Images



Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...