Torcida organizada do Corinthians é condenada por homofobia, diz colunista

A Camisa 12, uma das principais torcidas organizadas do Corinthians, foi condenada por homofobia e de acordo com a colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo, terá que pagar uma multa de R$ 20 mil por manifestações contra o atacante Emerson Sheik.

LEIA MAIS:
Corinthians pede fim de gritos de “bicha” e homofobia nos estádios
Repórter da ESPN dá bronca em palmeirense no ar por palavra homofóbica

Em 2013, o jogador postou foto na rede social Instagram dando um selinho no amigo e sócio Isaac Azar. O fato revoltou muitos corintianos, que durante um dos treinamentos no CCT Joaquim Grava, levaram faixas homofóbicas com frases como “veados não aceitamos”. O presidente da Camisa 12 exigiu que Sheik se desculpasse.”Pode ser até opção dele, mas sempre estamos tirando sarro dos bâmbis (referindo-se a torcedores do São Paulo). Aqui não vai ficar beijando homem”, disse.

A Camisa 12 nega a prática de homofobia. Diz, na defesa, que as manifestações, foram contra o fato de o jogador, ao seu substituído num jogo, ter “desrespeitado companheiros de clube, técnico e a torcida”. O processo administrativo foi movido pela Secretaria de Justiça e da Defesa da Cidadania de SP. Ainda cabe recurso.

Foto: Reprodução Instagram

 



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)