Três times brasileiros já ganharam o Mundial de Clubes Feminino de Vôlei; Confira

Reprodução

A equipe do Rexona/Ades começa a partir desta quinta-feira a busca pelo primeiro título mundial da equipe, mas o histórico do Mundial de Clubes Feminino de Vôlei aponta mais três equipes campeãs da competição.

A primeira delas é o Sadia São Paulo, que conquistou o título na primeira edição do torneio, disputada em São Paulo no ano de 1991, na única edição da história em que duas equipes do mesmo país se enfrentaram na final.

Na oportunidade, a equipe, que tinha como destaques a levantadora Fernanda Venturini e a oposto Ida, escolhida como a MVP da competição, bateu o Colgate/Pão de Açúcar, que tinha como treinador, ninguém menos que José Roberto Guimarães que, um ano depois, seria campeão olímpico com a seleção masculina de vôlei.

O segundo título também veio em casa, novamente em São Paulo, só que três anos depois. A equipe do Leite Moça/Sorocaba, liderada novamente por Fernanda Venturini, com o apoio da bloqueadora Ana Flávia e, principalmente, com uma Ana Moser inspirada e MVP da competição, a equipe bateu o Parmalat/Matera, da Itália e conquistou o título.

Já a terceira conquista veio nesse formato mais recente da competição, que voltou a acontecer em 2010, após o título brasileiro em 1994.

Com uma campanha que beirou a perfeição, perdendo somente um set durante todo o campeonato, o Sollys/Nestlé Osasco conquistou o titulo da edição de 2012, com uma vitória avassaladora por 3 a 0 sobre o atual campeão mundial, o Rabita Baku, do Azerbaijão. A equipe, treinada por Luizomar de Moura, era uma das bases da seleção brasileira que, meses antes, havia conquistado a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres.

A equipe levou quase todos os prêmios individuais (exceção a de melhor bloqueadora, que ficou com Jessica Jones, do Lancheras de Cataño, de Porto Rico), com destaque para Fabíola (melhor bloqueadora), Jaque (melhor recepção), Camila Brait (melhor líbero), Thaísa (melhor atacante) e, principalmente, Sheila, que foi a maior pontuadora e também a MVP do campeonato.

Agora, a expectativa é que o Rexona/Ades vá além da campanha de 2013, quando a equipe (ainda chamada na época de Unilever Vôlei), perdeu a final para as turcas do Vakifbank. O Mundial Feminino de Clubes começa nesta quarta-feira, em Zurique. A equipe estreia na quinta, às 15h, contra o Volero Zurich, pelo Grupo A da competição.

Foto: Reprodução/Facebook



Jornalista de 28 anos, com passagens em diversos sites como UOL Esporte, Trivela, Fanáticos por Futebol, Doentes por Futebol e revistas como IstoÉ 2016.