Bundesliga termina com viradas épicas de dois times tradicionais, que evitam descenso

Crédito da foto: Getty Images

O último ato do Campeonato Alemão na temporada 2014/2015 foi marcado pela emoção, um verdadeiro teste para cardíaco, principalmente pelos torcedores do Hamburgo e Munique 1860, equipes tradicionais e “pesadas” da Alemanha, que entraram em campo segunda-feira (1º) e terça (2), respectivamente, para disputarem o indesejado playoff do rebaixamento. O primeiro não queria cair para a Segundona, e o outro, para a Terceirona. E ambos conseguiram a manutenção, mas de forma mais que dramática e que arrancou lágrimas dos mais apaixonados.

LEIA MAIS
Mercado da bola: Gundogan pode estar perto de acerto com Barcelona
Torcedores do Borussia Dortmund no Brasil fazem mini-mosaico
Permanência da Bundesliga na ESPN é celebrada com vídeo divertido de Gerd Wenzel; veja

O HSV pegou o Karlsruher no Wildparkstadion, após ter empatado no jogo de ida por 1 a 1 em casa. Bastava um 0 a 0 para os Azuis voltarem à elite alemã, e foi assim que se portou no jogo, querendo esse resultado. Mas as coisas pioraram para o Rothosen (como é conhecido o Hamburgo) aos 34 minutos da etapa final, quando Reinhold Yabo recebeu de Hennings e abriu o placar, aumentando o drama hamburguês, único time que nunca caiu para a segunda divisão.

Restavam apenas 11 minutos mais os acréscimos para o HSV reverter a situação. Quando parecia que o Hamburgo não encontraria mais forças para buscar a igualdade, surgiu uma falta inexistente na entrada da área aos 46. Ou fazia o gol, ou o árbitro apitava o rebaixamento da equipe de Van der Vaart e companhia, desligando o tradicional relógio que dura mais de 52 anos na elite. O chileno Marcelo Díaz cobrou com maestria e marcou o tento que levaria o duelo para a prorrogação, desanimando o ímpeto do Karlsruher.

Na meia hora complementar, mais apreensão e emoção das torcidas. Os mandantes permaneceram fechados e com pouca força ofensiva, enquanto o Hamburgo ganhou um gás extra para conquistar o que parecia impossível após levar o 1 a 0. E foi assim que as coisas andaram. Aos dez minutos do segundo tempo da prorrogação, Nikolai Müller recebeu cruzamento de Cléber, zagueiro ex-Corinhians e que entrou na partida como centroavante, e completou para as redes de Orlishausen: 2 a 1 e vaga na Bundesliga assesurada, certo? Ainda não, tinha mais sofrimento para o fanático do HSV.

Aos 16, nos acréscimos, Hennings chutou em direção a área e a bola esbarrou em Rajkovic. Pênalti bem duvidoso assinalado por Manuel Grafe. Um gol rebaixava o Rothosen e promovia os Azuis. O mesmo Rajkovic bateu e Adler saltou no canto esquerdo, mesmo canto em que a bola batida pelo meia do Karlsruher. O impossível aconteceu, e assim como na temporada passada, o Hamburgo se salvou na repescagem e fez festa infinita pela vitória, mantendo o relógio da elite ligado. Por outro lado, tristeza azul.

Veja os lances do dramático jogo no Wildparkstadion entre Karlsruher 1 x 2 Hamburgo:

O outro confronto era válido pela vaga na Segundona alemã, a Bundesliga 2. De um lado, o histórico Munique 1860, uma vez campeão da Bundesliga (em 1966), do outro, o Holstein Kiel, terceiro colocado da terceira divisão. Na primeira partida, 0 a 0. O time alviazul jogou a volta na moderna Allianz Arena, que recebeu perto de 60 mil pessoas para acompanhar o “primo pobre” de Munique. Aos 16 minutos, Kazior já tratou de fazer 1 a 0 para o pequenino Kiel e aumentou o drama dos mandantes, que precisavam de qualquer jeito virar o placar para não cair à Terceirona.

O 1860 partiu desesperadamente para o ataque a partir daí, como o Hamburgo fez em Karlsruher, e só foi igualar o marcador aos 33 minutos do segundo tempo com Adlung. Precisava de mais um gol o time de Munique. E ele foi sair somente aos 46, buscando a façanha. Depois de “bololô” na área, um chute na trave, e no rebote, Büolw mandou para as redes adversárias, dando alegria no coração dos fãs alviazuis, fechando a temporada alemã com mistura de sofrimento, alegrias para os grandes com tradição e camisa e decepção aos pequenos que almejavam mais visibilidade em uma divisão acima.

Assista aos gols de Munique 1860 2 x 1 Holstein Kiel:

Crédito da foto: Getty Images

* Curtiu esta matéria? Siga o autor no Twitter: @marciodonizete



Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade. Foi repórter colaborador e hoje é líder da comunidade de colaboradores juniores, plenos e seniores no site Torcedores.com.