Félix: o paredão do Fluminense e da seleção brasileira no tri mundial em 1970

Foto: site oficial da CBF

Nascido em 24 de dezembro de 1937, na Mooca, tradicional bairro de São Paulo, Félix Miéli Venerando, o ex-goleiro Félix, iniciou a carreira nas divisões de base do Nacional-SP e com apenas 15 anos de idade se profissionalizou no Juventus, em 1953. Dois anos mais tarde foi contratado pela Portuguesa. Com pouco espaço no clube do Canindé, o arqueiro foi emprestado ao Nacional, em 57.

Em 61, retornou à Lusa e enfim teve uma sequência como titular. Suas boas atuações chamaram a atenção do Fluminense, que em 68 anunciou a contratação. Foi no Rio de Janeiro que Félix viveu o melhor momento da carreira ao faturar cinco títulos estaduais (69, 71, 73, 75 e 76) e a Taça de Prata de 1970 (homologada como Campeonato Brasileiro).

Apelidado de Papel, devido a sua magreza e a elasticidade para praticar defesas, Félix fez história na seleção brasileira ao ser o goleiro tricampeão do mundo, em 70.

Uma das características de Félix era a disciplina. No mesmo ano da conquista do Mundial, recebeu o tradicional prêmio Belfort Duarte por ter passado 10 anos sem ser expulso.

Félix nunca foi unanimidade no país e foi contestado por ter falhado em alguns jogos da campanha vitoriosa da seleção em 70, como na semifinal, contra o Uruguai e na final, contra a Itália. “Pelo menos quando eu morrer que parem de dizer que o Brasil ganhou a Copa de 70 ‘apesar do Félix’. O Barbosa foi crucificado por não ter ganho a Copa de 50 e eu por ter ganho a Copa de 70. Duas grandes injustiças”. Esta foi uma das últimas declarações do goleiro (reproduzida pelo site Terceiro Tempo) antes de falecer em 24 de agosto de 2012, aos 74 anos, após várias paradas cardiorrespiratórias, em São Paulo.

De acordo com o almanaque “Seleção Brasileira – 90 anos”, de Antonio Carlos Napoleão e Roberto Assaf, Félix, entre 1965 e 1972, defendeu a seleção em 47 jogos, com 33 vitórias, 9 empates e 5 derrotas.

Foto: site oficial da CBF

 

 



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)