Opinião: Mudanças são mais que necessárias na seleção brasileira

Allianz Parque

Desde a derrota por 7 a 1 para a Alemanha na Copa do Mundo, ficou evidente que a seleção brasileira precisava de uma reformulação total. E isso foi prometido para os torcedores, mas já começou mal com a volta de Dunga ao comando técnico do Brasil.

Independente de ele ser um treinador qualificado ou não para assumir a vaga deixada por Felipão, não era o que precisávamos, pois ele já tinha tido a chance dele de comandar a Seleção. Mas a insistência com o nome de Dunga, nos levou a mais um vexame, que foi essa eliminação para o Paraguai na Copa América, ainda na fase de quartas de final.

Talvez isso tenha sido até bom por fazer com que nós não enfrentemos a Argentina, seleção muito superior tática e tecnicamente. Podem até dizer que Dunga não tem um excelente material humano em mãos, o que é verdade, ainda mais se compararmos com gerações passadas. Mas é trabalho do técnico fazer com que o time jogue um bom futebol com o que tem em mãos, missão no qual, Dunga falhou.

A começar por uma convocação que deixou de fora alguns jogadores que mereciam oportunidades pelo que vinham mostrando, e que ainda foi prejudicada por uma série de desfalques de jogadores importantes como Danilo, Marcelo, Luiz Gustavo e Oscar, e agravada mais ainda pela suspensão de Neymar. Mas a verdade é que nosso futebol nunca foi convincente e o resultado foi esse.

Alguns erros foram as ausências de jogadores como Alex Sandro (não para ser titular, mas para ser uma boa opção quando não pudermos contar com Marcelo), Felipe Melo (sim, AQUELE Felipe Melo, marcado pela eliminação para a Holanda na Copa do Mundo de 2010, o volante sempre foi bem em suas temporadas na Europa e merecia outra oportunidade), Hernanes (sempre muito regular em suas temporadas na Itália, faz todas as posições do meio campo e bate muito bem pro gol, além de ter qualidade no passe), Felipe Anderson (merecia ao menos ter uma oportunidade de comprovar seu talento na Seleção, após uma temporada de destaque pela Lazio), e também faltou um homem de referência no ataque, que poderia ser Luiz Adriano, Jonas, Lima, qualquer um, mas faltou um homem para empurrar a bola pras redes.

Além disso, tivemos a má utilização de Casemiro e Firmino. O volante merecia ser titular após a belíssima temporada que fez pelo Porto e Firmino não é camisa 9 como Dunga tentou encaixá-lo, e sim um meia atacante que aparece muito bem, vindo um pouco mais de trás. Foi como ele se destacou no Hoffenheim e conseguiu uma transferência para o Liverpool.

Mas a nossa reformulação tem que começar com um técnico de visão, que chegue para mudar essa filosofia de trabalho da seleção brasileira. Carlo Ancellotti já provou ser um dos melhores do mundo, está sem clube e tem um curriculum de dar inveja, e Pep Guardiola já disse ter vontade de trabalhar aqui, mas talvez não desse certo por seu estilo de trabalho prezar por troca de passes e movimentação e talvez nosso meio campo não tenha as peças necessárias para isso.

E se nós não revelamos craques, pelo menos temos bons jogadores saindo da base agora, fato comprovado pela nossa campanha no Mundial Sub-20. Então devemos ficar de olho neles.

Enfim, não somos brilhantes, mas com trabalho, observação e determinação, podemos parar de passar por vexames e quem sabe, voltar a figurar entre as melhores do mundo.

Crédito da foto: Getty Images