Osorio foi expulso por ter dito que cartão amarelo para Bruno foi injusto, diz súmula

Juan Carlos Osório, que pode ser o novo técnico do São Paulo. Foto: Getty Images

Aqueles que reclamam que o futebol brasileiro está cada vez mais chato e as regras da CBF cada vez mais rígidas e, também por isso, irrealistas, ganharão um motivo e tanto para aumentar o coro daqui, em diante.

LEIA MAIS:
Osorio reclama de expulsão e ironiza árbitros brasileiros: “não sabia que eram intocáveis”

De acordo com a súmula do árbitro Anderson Daronco, que apitou Palmeiras x São Paulo, o técnico do Tricolor, Juan Carlos Osorio, foi expulso por ter argumentado com ele, na saída dos times para o intervalo, que o cartão amarelo dado para o lateral-direito do time, Bruno, no primeiro tempo, havia sido injusto.

“Expulsei no intervalo da partida, o técnico do São Paulo F.C. o sr. Juan Carlos Osorio Arbelaez, pois o mesmo aguardou a passagem da equipe de arbitragem na área mista (saída do campo), vindo em minha direção reclamando com o dedo em riste, dizendo: “a advertência do meu jogador (número 22, Bruno), foi injusta, você errou, você está equivocado”. Neste momento, comuniquei o mesmo, que ele estava expulso da partida”, diz o documento divulgado logo após o jogo.

Na entrevista coletiva, concedida ainda no Allianz Parque, Osorio ironizou o árbitro, dizendo não saber que os “árbitros brasileiros eram intocáveis” e argumentou que nos EUA e na Europa, lugares nos quais já trabalhou, reclamar educadamente com os juízes é normal e aceitável.

Com a expulsão do colombiano, o São Paulo foi comandado no segundo tempo pelo auxiliar-técnico e, até pouco tempo atrás, treinador interino, Milton Cruz. Este cenário, aliás, deve se repetir na próxima partida do time, contra o Atlético-PR, já que a regra de suspensão automática, por expulsão, serve também para os técnicos, no Brasileirão.

Foto: Getty Images



Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...