Veja quem pode decidir na reta final da Copa do Mundo Feminina

assinatura_Julia

Chegadas as semifinais da Copa do Mundo Feminina, um padrão de sucesso pode ser identificado entre as quatro seleções que ainda brigam pelo título no Canada: a combinação de uma defesa firme e fechada com um ataque veloz e eficiente. Reflexo disso é que a grande maioria das jogadoras destaque de cada jogo, escolhidas pela FIFA, atuam na linha de trás ou na linha de frente, com raras exceções vindas do meio campo.

Para os duelos dessa terça e quarta feira, a expectativa é de que zagueiras, goleiras e atacantes continuem a ter papel chave na definição do marcador. Enquanto as jogadoras de Japão e Inglaterra revezam dentro do elenco o status de protagonista a cada jogo, Alemanha e Estados Unidos tem claros destaques que vem fazendo cada vez mais diferença à medida que as equipes avançam no torneio. Conheça quem são elas:

Julie Johnston #19
EUA / 23 anos / zagueira

MONTREAL, QC - JUNE 29:  Julie Johnston #19 of the U.S. warms up during training at Olympic Stadium on June 29, 2015 in Montreal, Canada.  (Photo by Elsa/Getty Images)
Foto: Elsa/Getty Images

Em 2012, Johnston era a capitã da seleção sub-20 campeã do Mundial realizado no Japão. Desde o início da jornada no Canadá, ela atuou em todas as partidas, deixando no banco a veterana Christie Rampone (39 anos), capitã da seleção campeã em 99 e a única atleta do futebol norte-americano a disputar 4 Olimpíadas, tendo levado o ouro em 3 delas.

Eleita a melhor do jogo na partida contra a Nigeria, na fase de grupos (1×0), a jovem zagueira tem contribuído diretamente para a marca de 423 minutos sem tomar gols sustentada até aqui pela equipe dos EUA.

Megan Rapinoe #15
EUA / 29 anos / meio-campo

Rapinoe
Reprodução/FIFA.com

Rápida, habilidosa e ofensiva, Rapinoe tem sido a responsável por quebrar o pragmatismo do ataque norte-americano e produzir jogadas que vão além dos cruzamentos buscando a goleadora Wambach. Caindo principalmente pela meia esquerda, Rapinoe já fez 2 gols em 4 jogos, e é a cobradora oficial de escanteios e faltas da equipe.

Foi eleita a melhor jogadora da partida EUA 3×1 Australia, e só não foi a campo no último jogo contra a China por estar cumprindo suspensão.

Celia Sasic #13
ALE / 27 anos / atacante

Sasic
Reprodução/FIFA.com

Sasic é o exemplo perfeito da eficiência e oportunismo. Mesmo contra defesas fortes e fechadas, ela vem encontrando espaço para tabelar com a companheira Mittag e alcançar a marca de artilheira da Copa com 6 gols em 5 jogos.

Mesmo quando não cria as jogadas, a atacante aparece na hora certa, no lugar certo, e não desperdiça. Se o jogo contra os EUA for para os pênaltis, ela já está bem treinada: a atacante converteu todas as 3 cobranças que fez até aqui.

Nadine Angerer #01
ALE / 36 anos / goleira

MONTREAL, QC - JUNE 26:  Nadine Angerer #1 of Germany looks behind her during the 2015 FIFA Women's World Cup quarter final match against France at Olympic Stadium on June 26, 2015 in Montreal, Quebec, Canada.  Germany defeated France 5-4 on penalty kicks and move to the semifinal round. (Photo by Minas Panagiotakis/Getty Images)
Minas Panagiotakis/Getty Images

Com uma bagagem de dois títulos em Copas do Mundo (2003 e 2007), a muralha Angerer já chegou ao Canadá com o status de “versão feminina do Neuer”, o goleiro destaque da seleção masculina alemã na Copa de 2014. Afinal, além do bi-mundial, Angerer foi eleita a melhor jogadora do mundo do ano de 2013, desbancando as favoritas Marta e Abby Wambach.

Titular absoluta, a alemã levou apenas 3 gols até aqui no Canadá, e foi a principal responsável pela dura vitoria sobre as francesas na última partida válida pelas quartas de final. Ela fechou o gol no tempo regulamentar e defendeu o última cobrança na decisão por penaltis que garantiu a Alemanha na semifinal.