3 motivos para criticar Tite em sua terceira passagem pelo Corinthians

Tite iniciou a sua terceira passagem pelo Corinthians em janeiro desse ano. O treinador ainda não voltou a comemorar títulos, mas apresenta números interessantes. Até o momento, comandou o Timão em 43 jogos oficiais, com 27 vitórias, 10 empates e apenas seis derrotas, resultando num aproveitamento de 70,5% dos pontos disputados. Embora o Corinthians esteja em bom momento, brigando pelo título brasileiro, o trabalho de Tite merece algumas críticas pontuais.

LEIA MAIS:
3 motivos para elogiar Tite em sua terceira passagem pelo Corinthians
Tite banca o contestado Vagner Love entre os titulares do Corinthians
Tite diz que já teve fama de “faceirinho” no Sul por atacar demais e levar muitos gols

O Torcedores.com selecionou três delas:

1 – Pragmatismo:

Tite privilegia o futebol de resultados. Costuma montar seus times para tentar o gol no erro do adversário. Nos primeiros meses da temporada, até abandonou um pouco os seus conceitos. A equipe alvinegra encantou com um futebol envolvente e com muitos gols. No Brasileirão, a economia de gols voltou. Em muitas vezes, o Timão fez 1 a 0 e parou de atacar. Contra o Coritiba no último final de semana, a estratégia de administrar o resultado deu errado. Nos acréscimos, o frágil Coritiba arrancou um empate. Os dois pontos perdidos podem custar caro lá na frente.

2 – Pouco aproveitamento dos meninos da base:

Tite nunca foi um mestre em trabalhar com as categorias de base. O Corinthians possui jogadores com grande potencial como o volante Marciel, o meia Matheus Pereira e o atacante Léo Jabá, porém, Tite prefere trabalhar com atletas já rodados. Falta ousadia para lançar garotos em jogos oficiais. É preciso ter cuidado na transição de um jogador do departamento amador para o profissional, mas o excesso de cautela também faz mal. Contra o Vasco, o Corinthians vencia a partida por 3 a 0. O resultado estava garantido, mas mesmo assim Tite usou a sua última substituição para colocar o veterano Ralf, que muito provavelmente mudará de ares a partir do início da próxima temporada. Por que não colocou em campo o volante o meia Matheus Pereira para dar mais cancha ao garoto? Apenas Malcom, 18 anos, tem sido usado com frequência entre os titulares.

3 – Insistência com Vagner Love:

Desde a sua estreia em março, Vagner Love tem mostrado que não está no mesmo ritmo dos companheiros. O atacante destoa. Em má fase técnica, mostra dificuldades em dominar a bola, não consegue escapar da marcação adversária e tem finalizado mal. Tite continua insistindo nele no time titular. E pode pagar caro por isso. É preciso testar novas alternativas no ataque. Quem sabe ele não volte a usar uma formação sem um centroavante como na conquista da Copa Libertadores de 2012?

foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)