A grande campanha e o show de dribles da Libertadores-2003

Reprodução

Depois de surpreender o Brasil com atuação de gala na fase final do Campeonato Brasileiro de 2002, Robinho marcou gols contra os três adversários da fase final, na vitória do Santos por 3×1 na Vila Belmiro, na vitória de 3×0 sobre o Grêmio na Vila Belmiro e na vitória sobre o Corinthians por 3×2 no Morumbi, a expectativa era grande com relação ao desempenho da equipe santista na principal competição continental.

A campanha se iniciou com partida fora de casa na Libertadores-2003, diante do América de Cali e a equipe santista surpreendeu ao golear o adversário por 5×1. Robinho não marcou gols nesse primeiro jogo, mas deu passes e dribles fantásticos e movimentou o jogo. Como resultado, foi aplaudido de pé pela torcida adversária ao ser substituído. A atuação nesse jogo foi tão destacada que esse é considerado um dos melhores jogos do atacante pelo Santos, mesmo sem marcar um gol sequer em um jogo com tantos gols.

Contra o 12 de outubro, na Vila Belmiro, na vitória por 3×1, Robinho infernizou os marcadores e deu assistência para o gol de Elano.

Após o empate diante do El Nacional, o Santos voltou a enfrentar o América de Cali, dessa vez na Vila Belmiro e novamente a equipe santista teve atuação destacada, com belo gol de Robinho.

Mesmo dentro de seus domínios, o 12 de outubro foi presa fácil para os meninos da vila. Robinho marcou logo no ínicio do jogo e deu tranquilidade à equipe que goleou o adversário por 4×1.

Após novo empate contra o El Nacional, o Santos foi ao Uruguai e empatou por 4×4 em jogo marcado pela violência do adversário. Nesse jogo Robinho marcou seu primeiro gol de cabeça como profissional. No jogo de volta, na Vila Belmiro, novo empate, dessa vez por 2×2, com vitória santista nos pênaltis.

Nas quartas de final, o primeiro jogo não passou de um empate 0x0 e a classificação veio com vitória suada sobre o Cruz Azul. O gol decisivo foi dele: Robinho, após lance oportunista.

O Santos chegava à semifinal da Copa Libertadores da América, diante do Independiente de Medelin. Com vitória de 1×0 em casa, mesmo com postura pouco amistosa dos colombianos, o Santos foi até Medelín e venceu novamente, dessa vez por 3×2.

O Santos chegava à final para encarar o copeiro Boca Jrs. Delgado foi o destaque da equipe argentina nos jogos finais que também contava com o promissor Tevez. Robinho teve chance de gol em jogada individual incrível no primeiro jogo em Buenos Aires. No jogo no Morumbi, antes do Boca marcar seu primeiro gol, o camisa 7 quase acertou uma cabeçada certeira. Mesmo realizando um bom jogo, o Santos não resistiu e foi vice-campeão da Copa Libertadores da América. A campanha dos meninos da vila e do craque Robinho ficaram marcadas por jogadas incríveis da jovem equipe santista, infelizmente não coroadas pelo título.