Adidas emperra renovação com o Palmeiras

Divulgação

Segundo informações do jornal Lance!, negociação segue emperrada por conta da recusa da Adidas em pagar mais ao Palmeiras. Clube paulista reclama que é um dos que mais vende camisa, mas ganha menos do que Flamengo e Fluminense.

LEIA MAIS
Palmeiras vai premiar sócios-torcedores de Cuiabá em jogo contra a Ponte
Ordem no Palmeiras é acabar com oscilação após show em clássicos
No Palmeiras, Leandro Pereira crava sua permanência: “Nunca quis sair”

Palmeiras e Adidas estão longe de um final feliz. A negociação que já dura meses ainda esbarra na questão financeira, segundo informação do diário Lance! desta quarta. Segundo o jornal, a Adidas quer manter o mesmo valor do contrato anterior, assinado em 2010, para os próximos anos. Já o Palmeiras almeja um aumento neste montante, alegando que é um dos clubes que mais vende camisa no Brasil.

Ainda de acordo com o diário, a Adidas pagou R$17 milhões nos três primeiros anos e, no último, R$19 milhões. A empresa alemã se resguarda numa carta de intenções para um novo contrato de dois anos, assinada por ambas as partes, no qual esse aumento pedido pelo Palmeiras não estava previsto. O Verdão, no entanto, bate o pé e argumenta que a realidade do time hoje é outra, com mais visibilidade e força no mercado.

O Palmeiras já assume internamente que a negociação está travada. O valor que deveria ser pago pela Adidas em 2015 não foi efetivado, mas existe um acordo que prevê o pagamento retroativo em caso de renovação. A permanência da empresa alemã como fornecedora de material esportivo do clube paulista é bem vista por ambas as partes, porém não é o suficiente no momento para que a assinatura aconteça.

No último jogo do Palmeiras no Brasileirão, o Choque-Rei contra o São Paulo, o Verdão entrou em campo com o uniforme antigo. Não se sabe, porém, se o motivo teria sido por conta da negociação emperrada. Procurada pela redação do Torcedores.com para comentar o assunto do uniforme, a assessoria de imprensa do Palmeiras apenas informou ter sido uma decisão da presidência. Em relação a negociação em si, o Palmeiras não comenta o assunto.

Foto: Divulgação