Confira as cidades e resumo das etapas do Rally dos Sertões 2015

O Rally dos Sertões 2015 começa amanhã (1º) em Goiânia (GO) e termina no dia 8, em Foz do Iguaçu (PR). Essa será a primeira vez, em 23 edições realizadas, que o maior evento off road brasileiro vai fazer o trajeto para o sul do país e não para o norte/nordeste. O destaque fica por conta do trecho inédito.

LEIA MAIS
Luiz Razia faz sua estreia no Rally dos Sertões neste sábado

Das oito cidades-sede, apenas Goiânia recebeu a competição outras vezes. Ao todo foram 14 oportunidades, sendo 13 delas como ponto de partida da caravana.

O estado de Goiás ainda terá as cidades de Rio Verde, Itumbiara e São Simão no roteiro, passando pela cidade sul mato-grossense Três Lagos, a paulista Euclides da Cunha Paulista e as paranaenses Umuarama e Foz do Iguaçu, que será o fim da trilha, na usina hidrelétrica de Itaipu.

Serão 183 competidores desbravando 2855 quilômetros em 114 veículos (39 motos, 6 quadriciclos, 39 carros e 30 UTVs). Neste ano a organização não abriu espaço para os caminhões, já que o número de participantes diminuiu nos últimos anos.

Confira o resumo e as características de cada etapa do Rally dos Sertões 2015:

1ª etapa – 02/08 – Goiânia (GO) – Rio Verde (GO)
Deslocamento inicial: 50,84 km
Trecho cronometrado: 205,74 km
Deslocamento final: 104,56 km
Total do dia: 361,14 km

A especial começa em estradas de fazendas com muitas lombas e mata-burros. O trecho é bem sinuoso numa região montanhosa com travessias de pequenos riachos. O piso predominante é o cascalho e a piçarra. Será uma prova de média velocidade com poucas retas longas.

2ª etapa – 03/08 – Rio Verde (GO) – Itumbiara (GO)
Deslocamento inicial: 28,22 km
Trecho cronometrado: 156,73 km
Deslocamento final: 150,02 km
Total: 334,97 km

A prova entra em uma zona agrícola, cruzando fazendas e plantações de milho. O percurso conta com muitas lombas e lombadas em um trecho bem travado e sinuoso. Após a subida de uma pequena serra, a prova fica bem rápida com longas retas e curvas de alta. Na parte final, os competidores voltam para estradas menores com lombadas grandes. Nos últimos três quilômetros, haverá descida de uma serra muito estreita e sinuosa. O piso predominante continua sendo de cascalho, piçarra e poucas pedras.

3ª etapa – 04/08 – Itumbiara (GO) – São Simão (GO)
Deslocamento inicial: 143 km
Trecho cronometrado: 295,05 km
Deslocamento final: 65,32 km
Total do dia: 503,37 km

Esta etapa começa subindo uma serra muito estreita e sinuosa, seguindo por estradas com lombas e lombadas de todos os tamanhos. A prova fica travada e sinuosa com pequenos trechos de Trial e volta para uma área agrícola onde a velocidade aumenta relativamente. Serão contornadas grandes lavouras de cana-de-açúcar com um piso misto de piçarra e areia. A especial segue em estradas menores de cascalho até o final.

4ª etapa – 05/08 – São Simão (GO) – Três Lagoas (MS)
Deslocamento inicial: 147,13 km
Trecho cronometrado: 240,06 km
Deslocamento final: 39,59 km
Total do dia: 426,78 km

O Rally dos Sertões deixa o estado de Goiás e entra no Mato Grosso do Sul, que pela primeira vez faz parte do roteiro. A etapa começa em estradas de piçarra e cascalho em uma região com muitos mata-burros, lombas e lombadas. A prova atravessa uma região canavieira e segue por estradas de fazenda com pequenos trechos de trial. Os competidores entram em uma região de reflorestamento com um piso arenoso e assim segue até o final da especial. Nesta etapa, haverá todos os tipos de piso: cascalho, piçarra e areia.

5ª etapa – 06/08 – Maratona – Três Lagoas (MS) – Euclides da Cunha Paulista (SP)
Deslocamento inicial: 142,06 km
Trecho cronometrado: 291,16 km
Deslocamento final: 154,04 km
Total do dia: 587,26 km

Logo no início dessa especial, muitas lombas e lombadas seguindo por estradas estreitas com longas retas. O piso predominante continua sendo de piçarra com pequenos trechos de areia. Nos últimos 40 quilômetros, a prova fica sinuosa e rápida e segue em um piso arenoso até o final da especial.

6ª etapa – 07/08 – Euclides da Cunha Paulista (SP) – Umuarama (PR)
Deslocamento inicial: 26,96 km
Trecho cronometrado: 199,32 km
Deslocamento final: 89,84 km
Total do dia: 316,12 km

Após uma travessia de balsa, o rali entra pela primeira vez no estado do Paraná. A especial começa em uma região canavieira bem travada e sinuosa, exigindo muita concentração e navegação. Piso de terra vermelha e trechos arenosos alternados predominam nessa etapa. A prova segue por estradas menores com muitas retas e lombas. Na última parte, o trecho volta a ficar travado e sinuoso, entrando novamente em canaviais. Daí, os competidores seguem por longas retas até o final da especial.

7ª etapa – 08/08 – Umuarama (PR) – Foz do Iguaçu (PR)
Deslocamento inicial: 200,56 km
Trecho cronometrado: 120,54 km
Deslocamento final: 25,05 km
Total do dia: 346,15 km

Após um longo deslocamento por rodovias, cruzando belas cidades do Paraná, o Rally dos Sertões chega à última especial da prova. Começa em estilo de WRC (Campeonato Mundial de Rally). Rápida com trechos sinuosos, em um piso de cascalho bem escorregadio e traiçoeiro, alternando com trechos de terra vermelha. Os competidores entram em uma zona agrícola, cruzando pequenas propriedades e passando por trechos calçados com pedras. É sem dúvida a especial mais rápida do rali. Na última parte, a prova volta a ficar sinuosa em estradas de terra vermelha, seguindo assim até o final em Foz do Iguaçu.

Foto: Divulgação/Rally dos Sertões



Jornalista e apaixonado por esportes. Começou a carreira como diagramador do Jornal da Baixada, depois como repórter e editor do periódico praiano. Logo depois se aventurou e mergulhou de cabeça no universo do rali e dos esportes off road. No momento anda pela praia dos esportes radicais, em especial o skate.