Conheça a trajetória do Tigres até a final da Libertadores

PORTO ALEGRE, BRAZIL - JULY 15: Players of Tigres their first goal scored by Hugo Ayala during the match between Internacional v Tigres as part of Copa Bridgestone Libertadores 2015 Semi-Finals at Estadio Beira-Rio on July 15, 2015 in Porto Alegre, Brazil. (Photo by Lucas Uebel/Getty Images)

A equipe do Tigres será a terceira equipe mexicana a chegar em uma final de Libertadores. Mas o clube não querem acabar como as outras ficando em 2º lugar: fez investimentos pesados, com contratações pontuais para a equipe. Para entrar nessa Libertadores o Tigres ficou em 1º lugar na fase classificatória do Apertura em 2014. Vamos relembrar o caminho do Tigres até a final contra o River Plate.

A equipe mexicana entrou no Grupo 6 junto Juan Aurich (Peru), San Jose (Bolívia) e a equipe adversária da final, o River Plate (Argentina).

O primeiro jogo do grupo foi em terras mexicanas, numa vitória fácil por 3 a 0 contra Juan Aurich, com 69% de posse de bola e nove finalizações certas. Após esse jogo, o primeiro confronto com o River, na Argentina um empate em 1 a 1 o Tigres abriu o placar e apenas no final do jogo veio empate. Para fechar o primeiro turno da fase de grupos, o jogo foi contra San Jose na Bolívia, uma vitória magra mas importante na altitude de Oruro, sete dias depois as mesmas equipes só que agora no México, vitória de 4 a 0, com 2 gols de Rafael Sóbis, a abertura do placar foi aos 2 minutos de jogo, facilitando bastante as coisas. O segundo confronto contra o River agora em casa, também ficou no empate só que em 2 a 2, jogo com sabor de derrota pois até os 41 minutos do 2º tempo estavam vencendo por 2 a 0. E o último jogo do grupo foi contra Juan Aurich no Peru, nesse jogo a equipe foi composta por reservas, mas jogaram com a mesma força, pois após terem levado a virada, conseguiram reverter e ganhar de 5-4.

O grupo ficou assim, em 1º lugar Tigres disparado com 14 pontos, seguido do River Plate com 7 pontos, os dois passaram para a próxima fase, o Tigres como 2º colocado geral da competição.
De acordo com as regras o 2º colocado pega o 15º que era a U. de Sucre da Bolívia, um outro jogo na altitude e ganharam novamente 2-1 de virada. Para o segundo jogo a festa já estava preparada pela torcida, mas a equipe não rendeu tão bem e ficou num empate de 1 a 1, o gol do Tigres saiu aos 30 minutos da segunda etapa.

Nas quartas de final, o Emelec time do Equador e mais um jogo na temida altitude, Tigres o último invicto da competição perde de 1-0. No jogo da volta, Sobis foi o grande destaque da vitória de 2-0, marcando um gol e dando assistência para o outro, após essa conquista o Tigres era o time com melhor campanha e mais gols marcados.

Na semifinal um encontro com ex time de Rafael Sóbis, o Internacional de Porto Alegre, primeira partida no Brasil derrota de 2 a 1, mesmo perdendo de 2 a 0, os mexicanos foram atrás e conseguiram diminuir o prejuízo ainda na primeira etapa, esse jogou contou com os novos reforços, após a pausa para Copa América, de André Gignac, ex- Olympique de Marselha, Javier Aquino ex- Villarreal e Jurgen Damm ex- Pachuca, e também da primeira expulsão da equipe com dois amarelos Hugo Ayala. No México com 17 minutos já tinha o placar que necessitava, e aos 40 minutos um gol contra dos brasileiros desenfreou qualquer reação, Sóbis ainda errou uma penalidade máxima.

Essa foi a trajetória mexicana na competição, com muita altitude e atitude, muito pensamento vitorioso e contratações necessárias para essa caminhada árdua que é uma Libertadores da América.

Crédito da foto: Getty Images



Sou pai dos gêmeos Guilherme e Rafael e marido da Sabrina. Sou arquiteto e apaixonado por esportes, quase fui tenista profissional, além de tênis o futebol também é uma paixão.