De uma certeza a final da Copa América tem: uma seleção sairá da fila de títulos

Crédito da foto: Reprodução

A final da Copa América 2015 põe frente a frente em Santiago (CHI) neste sábado (4) dois times que vivem jejum de títulos em seus países: Chile e Argentina. Os chilenos nunca ganharam uma taça de expressão na história, enquanto os argentinos não faturam algo significativo há 22 anos, quando venceram o mesmo torneio em que decidirão esta noite.

LEIA MAIS
Guiados por Valdivia e Messi, Chile e Argentina fazem duelo das grandes seleções da Copa América
Teve dedada e errata da Globo; relembre fatos “bizarros” da Copa América

Os anfitriões da atual competição já sediaram sete vezes a Copa América, mas o melhor resultado que obtiveram no próprio país foi o vice-campeonato na edição de 1955, somente sendo superados justamente pela Argentina, adversário de logo mais em uma “revanche”. Foram segundo colocados também em 1956, 1979 e 1987, mas fora do território chileno. Nunca levaram a taça da Copa do Mundo, mas o desempenho mais notável aconteceu em 1962, com o terceiro lugar em casa. Na oportunidade, o Brasil foi campeão em cima da extinta Thceoslováquia (3 a 1).

Já pelo lado hermano, a história é de uma camisa pesada, com títulos importantes, como as duas Copas do Mundo em que levaram, em 1978 e 1986. Os argentinos são a segunda seleção que mais venceu a Copa América, com 14 conquistas, uma a menos que o Uruguai, líder do ranking geral do torneio. Mas desses 14 troféus, o último foi em 1993, ou seja, há 22 anos. Depois a Argentina não foi campeã de mais nenhuma competição de expressão. De mais relevante foram as duas medalhas de ouro nas Olimpíadas de 2004 (Atenas) e 2008 (Pequim), porém esses títulos não entram na história da Fifa.

O Chile, dentro de campo, o técnico argentino Jorge Sampaoli conta com a boa fase de Valdivia, Vidal, Alexis Sánchez e Vargas para superar os rivais. Do outro lado, a seleção argentina, atual vice-campeã mundial e considerada favorita desde o início da Copa América, tem Messi, Higuaín e Di María como destaques acima da média e que podem decidir a qualquer momento.

Crédito da foto: Reprodução

* Curtiu esta matéria? Siga o autor no Twitter: @marciodonizete



Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade. Atualmente como repórter colaborador no site Torcedores.com.