Dois anos depois, a expectativa por um novo Neymar continua no Santos

Crédito da foto: Divulgação Santos.

Neymar Jr. foi um marco na história do Santos Futebol Clube. Um verdadeiro prêmio pela maior base da história do Brasil, e uma das maiores do mundo. A aposta nas categorias abaixo do profissional sempre foram o tiro na mosca para a equipe da Vila Belmiro: de lá saíram desde Pelé e Coutinho até Giovanni, Robinho e Diego. É claro que já vimos diversos jogadores que nunca vingaram na equipe principal, como Renatinho, Alemão e até mais recentemente, Paulo Henrique Ganso.

Porém, Neymar foi o alento de uma torcida que estava há tempos se contentando com comemorações nos primeiros meses do ano, ao ganharem o Paulistão. Neymar fez o que craques de outras gerações, como Giovanni e Robinho, não conseguiram, que foi levar o time ao topo da América. Sua saída conturbada acabou refletindo um pouco na idolatria dos santistas, mas não apagou sua história.

Acontece que o atual camisa 11 do Barcelona saiu do Santos em 2013, e desde lá o clube não conseguiu se acertar definitivamente. E em tempos de crise financeira, o time da baixada faz o que sabe fazer melhor: apela para a base.

Muitos acertos e erros continuam acontecendo. Muitas promessas têm seus nomes propagados na mídia como verdadeiras estrelas antes mesmo de brilharem. Neymar se foi e deixou uma questão difícil de lidar: quem será seu substituto. É a dura tarefa que o Santos terá pela sua frente.

Vamos conhecer alguns candidatos:

Geuvânio

O atual camisa 10 do Santos tem quase a mesma idade de Neymar, mas todos esperam que o meia-atacante ainda estoure. Geuvânio é dono de uma velocidade e uma capacidade de drible impressionantes. Foi um dos destaques da equipe no ano de 2014 e vem muito bem nesse ano de 2015. Também tem um poder finalização muito bom, confiança de todos os treinadores que passaram pelo Santos desde Oswaldo de Oliveira e o posto de uma das referências do time. Até aqui, ganhou um Paulistão pela equipe da baixada.

 

Gabriel (Gabigol)

Faro de gol é o que não falta a Gabigol – e a sua principal característica justifica o apelido, aliando-se a habilidade e bons recursos na hora de arrematar. Sem dúvidas o garoto tem estrela: mesmo amargando as reservas de Leandro Damião e Ricardo Oliveira (no momento, Dorival o está escalando mais aberto), Gabriel manteve sempre uma boa média de tentos. Subiu como uma das estrelas da base, sendo sempre artilheiro nessa categoria. Ainda possui 18 anos e estreou no profissional muito novo, com apenas 16 anos.

 

Stefano Yuri

O atacante segue a mesma linha de Gabigol: tem frieza na cara do gol, tem bom posicionamento e recursos para criar boas chances. Pode-se dizer que Stefano Yuri é mais centroavante que todos nessa lista, mas sua capacidade técnica o coloca como um dos candidatos a novo Ney. Stefano foi artilheiro da última Copa São Paulo de Futebol Junior, e atualmente está emprestado ao Náutico.

 

Diego Cardoso

Também atacante, Diego é extremamente rápido e habilidoso, sem deixar o faro de gol de lado. Ao lado do companheiro Stefano, também foi artilheiro da última Copinha. O jovem é versátil e tem rara técnica, o que o fez ter muita moral com os técnicos Oswaldo de Oliveira e Enderson Moreira.

 

Jean Chera

A história de Jean talvez seja uma das mais curiosas. O atleta era tratado a peso de ouro: tinha habilidade, um chute potente e boa velocidade. Mas um imbróglio com o pai do garoto sobre valores para uma renovação de contrato, em 2013, o tirou da baixada. Jean rodou por oito times durante esse tempo, inclusive o Flamengo, mas nunca conseguiu evoluir dentro dos clubes. Chera voltou para o Santos nesse ano em busca de um recomeço na carreira, e segue atuando nas categorias abaixo do profissional para que, um dia, quem sabe, justifique a preciosidade com que o trataram.

 

Os candidatos a Neymar que não deram certo:

 

Victor Andrade

Talvez Victor fosse tratado do mesmo modo com que trataram Neymar nas categorias de base do Santos. O atleta tinha todos os mimos de uma joia, e chegou a jogar pelo profissional – mesmo que poucos lembrem dele em campo. O caso dele foi parecido com o de Jean Chera: Victor tinha uma multa altíssima, e acabou não acertando valores sobre um novo contrato com o Santos. Transferiu-se para o Benfica, de Portugal, e hoje está encostado na equipe. Victor Andrade subiu das categorias de base junto com Gabigol e, digamos, não teve a mesma sorte que o colega.

 

Neilton

O jogador pode até mesmo vir a estar, um dia, no patamar de Neymar – mas não será no Santos. Neilton fez uma grande Copinha pelo Peixe em 2013, e até chegou a jogar bem pela equipe profissional. Porém, o motivo da saída de Neilton foi o mesmo de tantos outros atletas revelados pelo Peixe. O atleta pedia um caminhão de dinheiro, e acabou não acontecendo um negócio entre ele e Santos. Neilton foi para o Cruzeiro, e atualmente é do Botafogo – é reserva na equipe mas entra constantemente durante os jogos.

Crédito da foto: Divulgação Santos.



Estudante de Jornalismo na Universidade São Judas Tadeu. Amante do futebol, apaixonado por futebol americano e interessado pela antropologia esportiva.