Em 11 anos, Santo André vai de campeão da Copa do Brasil à inatividade no 2º semestre de 2015

Crédito da foto: Fabrício Cortinove/EC Santo André

O Esporte Clube Santo André ganhou prestígio e notoriedade no futebol brasileiro no início da década passada. O time, que protagonizou o “Maracanazzo de um Santo” em 2004, ao bater o Flamengo em pleno Maracanã lotado por 2 a 0 e faturar a Copa do Brasil daquele ano, hoje vive dias bem diferentes aos do passado. No segundo semestre de 2015 o Ramalhão ficará sem atividade, abrindo mão até da disputa da Copa Paulista, torneio em que foi campeão em 2014, por exemplo.

LEIA MAIS
Jogador do Santo André é acusado de agredir repórter de jornal da região
Jogador do Santo André dispara contra clube no Facebook: “Esse time é uma b…!”

A justificativa do presidente Jairo Livólis (que curiosamente é o mesmo presidente ao da conquista da Copa do Brasil) é que o time não terá seu estádio disponível para as partidas da competição. O Bruno José Daniel está em reformas e elas acabarão em outubro de 2015, segundo previsão dada pelo próprio mandatário. Então, para o melhor do clube, preferiu não jogar a copa estadual, que muitos dirigentes reclamam que é “deficitária e que gera inúmeros prejuízos aos cofres de uma equipe profissional.”

O Santo André disputou Libertadores no ano seguinte após o título da Copa do Brasil e fez a maior goleada da competição, ao aplicar 6 a 0 no Deportivo Táchira (VEN), o que mesmo assim não foi suficiente para classificar o Ramalhão para o mata-mata na oportunidade porque o Palmeiras empatou em 0 a 0 com o Cerro Porteño (PAR) e passou junto com os paraguaios. Somente três anos mais tarde o time, com o experiente Marcelinho Carioca, subiu para a elite do Campeonato Brasileiro, ficando com o vice da Série B em que o Corinthians foi o campeão. Naquele elenco tinha Sandro Gaúcho, Rodrigão, Richarlyson, Romerito e Osmar, por exemplo.

Reveja os gols de Flamengo 0 x 2 Santo André, final da Copa do Brasil de 2004:

Em 2009, em uma competição de alto nível, o clube do ABC Paulista não conseguiu se firmar e caiu novamente para a Segundona, mas fez algumas “gracinhas”, como a vitória sobre o Palmeiras por 2 a 0, por exemplo, com dois gols de Nunes, além dos 2 a 1 em cima do Botafogo no Rio de Janeiro e a boa goleada por 5 a 3 sobre o Náutico, na luta pela fuga do descenso.

Relembre Santo André 2 x 0 Palmeiras, pelo Brasileirão de 2009:

Mas no ano seguinte veio a redenção no Campeonato Paulista. Em uma formação que tinha Bruno César, Cicinho (ex-Palmeiras e Sevilla-ESP), Rodriguinho, Ricardo Goulart e Nunes, todos comandados por Sérgio Soares, o Santo André somente parou na final, quando foi superado, de forma contestada, pelo Santos. Até venceu por 3 a 2 no segundo duelo, mas no primeiro, que também teve o mesmo placar, porém a favor santista, o Ramalhão perdeu o título. Nessa época o clube era gerido pela Saged, uma gestão empresarial que administrava o departamento de futebol ramalhino.

Veja novamente os gols dos dois jogos da final paulista de 2010 entre Santos e Santo André:

 

Ela acabou vendendo boa parte do elenco para a disputa da Série B e a derrocada se começou. Com um grupo mais fragilizado, o time foi rebaixado para a Terceirona. Em 2011, outro baque: a queda para Série A-2 do Paulistão, como lanterna da elite. As coisas não andavam mais e só se manteve na Série C do Brasileiro porque o Brasil de Pelotas-RS foi punido e acabou rebaixado no lugar da equipe andreense. Um ano depois não teve jeito. caiu para a Série D, enquanto no Paulista conseguiu a permanência na Série A-2. Os sucessivos insucessos determinaram a desistência da Saged no fim de 2012 em gerir o futebol do Santo André, que voltou aos antigos administradores e que tiveram de “recomeçar”.

No primeiro ano da volta da dupla Celso Luiz de Almeida (presidente) e Jairo Livólis (vice), outra notícia triste para o torcedor do Ramalhão: o não-acesso na Série D do Brasileirão, o que significou a saída do clube no calendário nacional, já que para jogar a quarta divisão, precisa da vaga via Estadual, e o time não atuava na primeira divisão do Campeonato Paulista. Desde então a equipe busca voltar aos melhores dias, e um esboço de esperança veio em 2014, com o título da Copa Paulista, mesma competição que venceu 11 anos atrás e que iniciou o caminho para a conquista histórica da Copa do Brasil de 2004.

Botafogo-SP 0x1 Santo André, Ramalhão campeão da Copa Paulista de 2014:

Neste ano as coisas mais uma vez se regrediram. Com uma folha salarial de R$ 600 mil reais por mês, o Santo André não conseguiu subir na A-2, o que foi definido como “decepcionante” pelo presidente Jairo Livólis, que deu nome aos jogadores que mais fracassaram na campanha frustrada: o meia Cacá, o veterano volante Ramalho, o lateral-esquerdo Renato Peixe e o goleiro Neto, que foi dispensado do elenco por falar mal do clube no Facebook. Agora, só retorna às atividades no Paulistão da A-2 de 2016 para mais uma vez tentar voltar aos anos dourados.

Crédito da foto: Fabrício Cortinove/EC Santo André

* Curtiu esta matéria? Siga o autor no Twitter: @marciodonizete



Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade. Atualmente como repórter colaborador no site Torcedores.com.