Etiene Medeiros: De promessa da natação à primeira brasileira medalhista de ouro em Pan

Etiene Medeiros
Crédito da foto: Reprodução/Facebook

Etiene Medeiros já havia batido alguns recordes em 2014, mas chegou a Toronto como uma promessa. E mal sabia o que o destino lhe reservava. Em sua segunda participação em Pans (em 2011, ficou em 10º lugar nas eliminatórias dos 100m costas e não chegou à final), a nadadora conquistou quatro medalhas e ainda foi a primeira brasileira a subir no lugar mais alto do pódio na história dos Jogos.

Aos 24 anos, ela elevou a modalidade feminina e fica para a história com o ouro nos 100 metros costas, além da prata nos 50 metros livres e dois bronzes em equipe, nos 4×100 metros livre e 4×100 metros medley.

A recordista, agora já sem o título de promessa brasileira, começou no esporte com apenas dois anos, por motivos de saúde. Mas somente com oito entrou para um clube, na época, morando em Recife, integrou a equipe do Sport e três anos depois integrou a equipe Nikita Sesi permanecendo até 2012, quando se mudou para o Rio de Janeiro para treinar no Flamengo. Agora, junto com o técnico Fernando Vanzella, defende o Sesi/SP.

Em 2008, a garota já brilhava nas piscinas e teve sua primeira grande conquista, a prata do Campeonato Mundial Júnior nos 50m costas, em Monterrey. Mas, foi em 2014 o ano em que começou a mostrar que daria muito trabalho para suas adversárias.

Nos Jogos Sul-Americanos, em Santiago, foi ouro, prata e bronze, nos 4x100m medley, 100m costas e 100m borboleta, respectivamente. Em Mar del Plata, no Campeonato Sul-Americano subiu ao lugar ais alto do pódio cinco vezes (50 e 100m costas, 4x100m livre, 4x100m medley, e 4x100m medley misto) e vice campeã nos 100m borboleta.

Na piscina curta de Guaratinguetá, no Troféu José Finkel , simplesmente, bateu três recordes sulamericanos: nos 50m livres com 24s15, nos 50m costas com 26s41 e nos 100m costas com 57s53, em setembro.

Meses depois, sua maior conquista, até então, havia sido a medalha de ouro e o recorde mundial dos 50 m costas (25s67), com isso levou o Campeonato Mundial de Natação em Piscina Curta, em Doha, além de ser a primeira mulher do Brasil a conseguir uma medalha individual em mundiais de natação. Na mesma competição ainda foi ouro no 4x50m medley misto e bronze no 4x50m misto.

Com tudo isso e em um espaço curto de tempo, Etiene Medeiros saiu do patamar de promessa, para esperança brasileira de medalhas para os Jogos Olímpicos, no Brasil.

Crédito da foto: Reprodução/Facebook



Graduada em Jornalismo, pós graduada em Jornalismo Esportivo e Multimídias. Tem passagens por: Premium Esportes; Arquibancada Olímpica, da Rede Gospel de Televisão; Jornalismo Futebol Clube e FutNet. Atualmente é analista de conteúdo na Idoc, colaboradora na ER Comunicação e no Torcedores.com.