Gignac: a referência do Tigres para a final

PORTO ALEGRE, BRAZIL - JULY 15: Valdivia of Internacional battles for the ball against Andre Pierre Gignac of Tigres during the match between Internacional v Tigres as part of Copa Bridgestone Libertadores 2015 Semi-Finals at Estadio Beira-Rio on July 15, 2015 in Porto Alegre, Brazil. (Photo by Lucas Uebel/Getty Images)

André-Pierre Gignac chegou há pouco tempo no clube mexicano, mas já gera enormes expectativas. E elas não foram decepcionadas: gol logo no segundo jogo pelo Tigres, no segundo jogo da semifinal da Libertadores contra o Internacional, classificando o time para a final da competição.

A contratação do atacante francês é tida como revolucionária para o mercado futebolístico atual, afinal Gignac estava no auge de sua carreira após uma ótima temporada no Campeonato Francês, pelo Olympique de Marselha, e com chances de disputar a Euro-2016. O centroavante também tinha supostas propostas de grandes times europeus, como o Liverpool, mas foi seduzido pelo projeto do Tigres.

Projeto esse que agrega, é claro, retorno financeiro, torcida fanática e futuras conquistas. Essa é a motivação da equipe estar contratando tão bem e fazendo uma campanha tão boa na Copa Libertadores da América. O time ainda tem pela frente a Copa dos Campeões da Concacaf e visa grandes campeonatos.

Gignac chegou para ser referência no time mexicano, e dividirá essa responsabilidade com Rafael Sóbis. Com uma boa estatura, controle de bola e faro de gol acima da média para termos sul-americanos, o francês de 29 anos já carrega no currículo a disputa da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, onde sua seleção foi eliminada na primeira fase.

O próximo desafio de Gignac é a final da Libertadores, contra o River Plate. Pela frente, um clube de tradição e bons nomes em campo. O centroavante poderá provar, definitivamente, que não veio à América para passar férias e que, de todas as escolhas, a pelos Felinos não poderia ter sido melhor.

Crédito da foto: Getty Images



Estudante de Jornalismo na Universidade São Judas Tadeu. Amante do futebol, apaixonado por futebol americano e interessado pela antropologia esportiva.